Manaus – A cidade de Manaus registrou, em 19 anos, um crescimento de 12,5% em sua população, alcançando a marca de 2.182.763 habitantes, dos quais, 51,21% são mulheres, segundo aponta projeções da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti).

Aos 350 anos, a capital do Amazonas se mantém como o maior polo econômico do Estado e um dos maiores da região, ocupando a terceira posição entre os municípios mais industrializados do País.  

 

Os dados sistematizados pelo Departamento de Estatística, Análise, Geoprocessamento e Inovação da Sedecti mostram que os 56 bairros que existiam no ano 2000, evoluíram para 63 bairros distribuídos por seis zonas.

 

A maior população está localizada na zona norte concentrada no bairro Cidade Nova, com um total de 146 mil habitantes. O menor quantitativo de habitantes fica localizado no bairro Vila Buriti com 2.213 pessoas.

 

Quanto ao poder aquisitivo, o bairro da Ponta Negra, na zona centro-oeste, ostenta a maior renda mensal, na faixa de R$ 9 mil. A menor renda na capital é no bairro de Puraquequara com R$ 680,00.

 

No segmento sociocultural, Manaus desponta com o maior número de equipamentos culturais, somando oito teatros, 14 centros culturais, 11 museus e dezenas de parques e praças.

 

Manaus conta com 96,20% dos estabelecimentos do setor de alimentação no Estado, segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais). O número de bares na capital é de 9.268 estabelecimentos.

 

Motor da economia

 Manaus tem o maior Produto Interno Bruto (PIB) entre os municípios do Estado do Amazonas, alcançando o valor estimado de R$ 70.296 milhões no ano de 2016. A cidade detém aproximadamente 78,97% do PIB estadual (2016), apresentando o setor dos Serviços como o de maior participação (R$ 32.519,831 milhões), seguido pela Indústria (R$ 25.131,157 milhões).  

 

Manaus também é o terceiro maior município do Brasil no setor industrial, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Segundo a Rais 2018, existiam 488.463 empregados formais em Manaus, isso equivale a 81,86% dos empregos formais do Estado. Entre os subsetores de classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o maior empregador são os Serviços (33,16% do total), seguido da Administração pública (25,91%) e Indústria de transformação (18,83%).

 

O peso de Manaus na economia do Estado fica evidente ao se analisar a Balança Comercial. A cidade em 2018 foi responsável por 87,67% das exportações estaduais e 99,27% das importações.