Guerra do Tráfico: após morte de “L7”, PM vai estar ‘em peso’ nas ruas de Manaus para garantir segurança

Por Lindivan em 23 de junho de 2022 às 17:35 | Atualizado 23 de junho de 2022 às 18:16

Manaus – A Polícia Militar do Amazonas (PMAM ) negou a notícia sobre um possível toque de recolher em Manaus, que circula nas redes sociais na tarde desta quinta-feira (23), após a morte de Luciano da Silva Barbosa, o vulgo “L7” filho do narcotraficante ‘Zé Roberto da Compensa’.

Conforme as mensagens, integrantes do Comando Vermelho do Amazonas (CV-AM) e do Rio de Janeiro prometeram um foguetório no início desta noite em vários pontos de Manaus por conta da morte do L7, decapitado na madrugada de hoje em uma comunidade entre os municípios de Anamã e Manacapuru.

Os membros da facção Revolucionário do Amazonas (RDA) prometeram executar os desafetos, e avisaram os moradores de vários vários da cidade sobre a guerra que iniciará.

“Mataram nosso mano L7, filho do nosso pai Zé Roberto, os mano vermelho vão morre, pedimos pra família de bem ficar fora da rua porque a bala vai comer nesses filhos da puta, os bairro alvorada, Uniao, flores, mundo novo, cidade nova, pode se prepara que nós já ta pronto pra guerra”, diz a nota dos traficantes espalhadas nas redes socais.

“Tivemos a notícia da morte do traficante, e nós não comemoramos a morte de ninguém, mas as pessoas escolhem seus caminhos. O papel da PM é proteger a vida de todos, mas as escolhas individuais não são escolhas nossas. Existem informações, fakes, de toques de recolher, mas não vai acontecer. Nossa polícia, hoje, vai estar muito pesada na rua. peço compreensão da sociedade, principalmente a manauara, pois seremos muito duros no combate ao crime organizado”, disse o comandante da PM.