Manaus – Internautas procuraram a equipe de reportagem do portal CM7 para relatar os transtornos que têm vivido por conta do alto som da Churrascaria Búfalo, localizada na rua Pará, conjunto Vieiralves, bairro de Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul de Manaus. 

Na denúncia, os moradores contam que, de quinta-feira a domingo, a churrascaria vira baderna. Além do som alto e jovens alcoolizados gritando no meio da rua, por dentro a situação é ainda pior. O estabelecimento não segue as medidas de prevenção contra o coronavírus, como a capacidade por mesa, que deveria ser de seis pessoas.

A algazarra se faz presente e tem gerado revolta aos trabalhadores que são obrigados a ouvi-la. Segundo os denunciantes, o ambiente não tem alvará para funcionar como casa noturna, apenas como restaurante. 

A qualidade de vida dos populares da região está em risco, uma vez que casos como este resulta em comprometimento da saúde física e emocional do indivíduo. A lei nacional rotula a ação da churrascaria como crime de poluição:

A Lei 6.938/81, Lei da Política Nacional do Meio Ambiente, define poluição como a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou indiretamente prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população;

A penalidade para este crime é de multa e reclusão, de um a quatro anos, além de que após às 22h é proibido altos níveis de som. 

Nas imagens a seguir (vídeo 2), é possível ver que diversos jovens, possivelmente alcoolizados, põem em risco as suas vidas ao ficarem no meio da via dançando. Além disso, ao saírem do local, muitos dirigirem bêbados. 

Veja vídeos: