Gestores, trabalhadores e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) definiram na manhã desta quarta-feira, 3/4, as propostas e diretrizes que irão compor o relatório final da VIII Conferência Municipal de Saúde, iniciada na última segunda-feira, 1/4, no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques. 

O presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS/Manaus), conselheiro Jorge Carneiro, explica que os 400 participantes da VIII Comus avaliaram 120 propostas encaminhadas das Pré-Conferências Distritais de Saúde, realizadas no mês de março.

 “As 120 propostas foram analisadas em grupos de trabalho durante a VIII Comus e a plenária final da conferência deve selecionar pelo menos 20 propostas e quatro diretrizes que servirão como referência para o planejamento nas políticas de saúde na esfera municipal, estadual ou federal”, informou Jorge Carneiro, explicando que as propostas e diretrizes foram elaboradas a partir de discussão sobre os temas Democracia e Saúde, Saúde como Direito, Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e Financiamento adequado e suficiente para o SUS.

 As propostas e diretrizes aprovadas pela plenária irão compor o relatório final da VIII Comus e serão encaminhadas para apresentação da Conferência Estadual de Saúde, que deve acontecer no Amazonas antes da 16ª Conferência Nacional de Saúde, marcada para o mês de agosto deste ano.

 Na programação da tarde desta quarta-feira, 3/4, os participantes da VIII Comus também irão eleger os 196 delegados que vão representar Manaus na etapa estadual e que serão eleitos entre os segmentos do controle social do SUS, com 50% de usuários, 25% de gestores e 25% de trabalhadores.

 Representação

A VIII Comus contou com a participação de representantes de trabalhadores, gestores e usuários da rede municipal de saúde, eleitos delegados nas Pré-Conferências Distritais de Saúde das zonas Norte, Sul, Leste, Oeste e Rural. 

Para a representante do segmento de trabalhadores e servidora do Distrito de Saúde Sul (Disa Sul), Ieda Castro Muniz, a participação na VIII Comus é mais uma forma de fortalecer o controle social no SUS para a melhoria dos serviços oferecidos à população.

 “É um processo democrático, com o comprometimento de gestores, trabalhadores e usuários, que conhecem a realidade dos serviços de saúde e têm o objetivo de definir propostas que possam atender as reais necessidades da população”, afirmou Ieda Muniz.

 Representando o segmento de gestores da saúde, a cirurgiã-dentista Andrea Pinheiro Melo Gomes, gestora do Centro de Especialidade Odontológica Norte (CEO Norte), destacou a importância da VIII Comus como um espaço de troca de experiências entre gestores, trabalhadores e usuários do SUS.

 “É minha primeira participação em uma Conferência Municipal de Saúde e essa experiência mostrou que é uma oportunidade para ajudar a construir a saúde pública, procurando sempre beneficiar a coletividade, não apenas pensando no que é melhor para o gestor ou trabalhador ou usuário. E, participando desse processo, é possível perceber que o envolvimento dos três segmentos é essencial para se encontrar propostas que possam realmente ter impacto positivo no atendimento”, explicou Andrea Gomes. 

Já a artesã Cléo Polania, representante do segmento de usuários e presidente do Conselho Local de Saúde da UBS Josephina de Mello (zona Leste), está participando pela terceira vez de uma Conferência de Saúde.

 “Acredito que é importante continuar essa luta para a melhoria dos serviços no SUS. Propostas são votadas e aprovadas, mas é preciso manter o trabalho do controle social para que não fiquem apenas no papel, assegurando que o SUS realmente seja para todos”, afirmou Cléo Polania.