Manaus- O contexto imposto pela pandemia do novo coronavírus tem exigido soluções criativas de todos. Como forma de inovação, o laboratório da concessionária Águas de Manaus, que fica localizado no Complexo da Ponta do Ismael, optou por produzir o próprio álcool em gel. O produto passou a ser disponibilizado aos colaboradores da empresa que atuam principalmente em atividades externas, executando serviços nas ruas de Manaus. O trabalho destes colaboradores é essencial para que o sistema de abastecimento da capital siga em operação durante o período de enfrentamento a doença.

Os funcionários da Águas de Manaus estão recebendo orientações para utilizar os kits com álcool para higienizar constantemente as mãos e fazer a limpeza interna dos veículos, especialmente em locais como volantes, travas de segurança, bancos e outros acessórios. Os colaboradores que atuam nas ruas também estão recebendo máscaras de proteção e vão manter a distância recomendada pelos órgãos de saúde, caso seja necessário qualquer contato com os clientes.

A ideia de produzir o próprio álcool em gel no laboratório da concessionária foi motivada por dois pontos: a escassez do produto no mercado, devido à grande procura nas últimas semanas, e a necessidade de manter os colaboradores protegidos durante o trabalho. “Quem está em campo, nem sempre tem acesso rápido fácil a um local para higienizar as mãos com água e sabão, como as autoridades sanitárias estão orientando. E o álcool em gel é a forma mais prática para promover uma boa assepsia. Para produzi-lo, usamos um álcool mais concentrado, que é utilizado no nosso dia a dia e diluímos, para ficar adequado ao uso cotidiano e em contato com pele”, disse Géssica Oliveira, engenheira química que atua no laboratório da concessionária.

A demanda pelo álcool em gel aumentou no Brasil desde último dia 11 de março, quando a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia para o coronavírus, causador da doença COVID-19, uma infecção respiratória altamente transmissível que já registra mais de 500 mil casos em todo o mundo. O uso do álcool etílico hidratado ou em gel 70% se tornou um dos maiores aliado no combate à disseminação da doença no mundo, pois elimina o vírus e protege contra a infecção.

SERVIÇO ESSENCIAL – A Águas de Manaus tem cerca de 1200 colaboradores. Boa parte deles atuam em atividades externas, como os leituristas, e os agentes de saneamento (que atuam em serviços como correção de vazamento e manutenções diárias). Além do álcool em gel, os colaboradores têm recebido um reforço diário de orientações sobre como se proteger da doença, como evitar proximidade física, cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar, higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel, entre outras.

A empresa também adotou medidas de precaução aos colaboradores dos grupos de risco, implementando o regime de trabalho em home office para os evitar riscos de contaminação nas unidades da concessionária. A Águas de Manaus ainda criou um comitê de combate ao novo coronavírus, com ações que estão sendo repassadas a todos os funcionários internos e externos durante o período de enfrentamento à doença, seguindo o parâmetro recomendado às outras empresas do grupo nos 11 estados brasileiros onde atua.

“A Águas de Manaus presta um serviço essencial para a cidade, que não pode parar. A água também virou um item fundamental no combate ao coronavírus. Por isso, montamos um plano para que nossas equipes sigam atuando nas ruas da cidade, mas que também estejam protegidas contra a doença. O kit de higienização, com o álcool em gel feito no laboratório da empresa, é mais um ponto nesse processo de manter nossos serviços funcionando. Todos os nossos colaboradores terão acesso ao álcool em gel, principalmente quem trabalha nas ruas. Seguiremos levando saúde e qualidade de vida para a cidade”, disse o diretor-executivo da concessionária, Luiz Couto.

ATENDIMENTOS NOS CANAIS VIRTUAIS – Águas de Manaus suspendeu, na última semana, os atendimentos presenciais em seus oito pontos físicos na cidade de maneira temporária. A medida segue as recomendações do Ministério da Saúde, para evitar aglomerações de pessoas e conter o avanço do Coronavírus. O bem-estar e a saúde de colaboradores e clientes são prioridade para a empresa neste momento. Desde quinta-feira (19), os atendimentos na loja Central da Leonardo Malcher e PAC´s Sumaúma, Compensa, São José, Alvorada, Praça 14, PAC T4 e PAC Via Norte estão suspensos. A empresa pede que os clientes procurem os canais virtuais de atendimento da empresa, que estão sendo reforçados para atender todas as demandas.

Nos canais virtuais, é possível tirar dúvidas, negociar débitos e solicitar diversos serviços que estavam disponíveis nos pontos presenciais. Entre eles, estão a emissão de segunda via da fatura, consulta de débitos, religação, troca de titularidade e novas ligações de água. Ainda é possível acompanhar o andamento de qualquer serviço solicitado. Tudo isso, sem sair de casa. O cliente da Águas de Manaus tem à disposição os seguintes meios de atendimento 24h por dia: Call Center: 0800 092 0195; WhatsApp (92) 98264-0464; o Aplicativo “Águas APP”, disponível nos sistemas operacionais IOS e Android e a Agência virtual, no site da concessionária www.aguasdemanaus.com.br .

NOVO CORONAVÍRUS – A COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo novo coronavírus, identificado pela primeira vez em dezembro de 2019, em Wuhan, na China. Os sintomas mais comuns são febre, cansaço e tosse seca, mas algumas pessoas infectadas não apresentam sintomas. Cerca de 80% dos doentes se recupera sem precisar de tratamento especial, mas uma em cada seis pessoas fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. As pessoas idosas e as que têm outras condições de saúde como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves. Para evitar a doença, a OMS recomenda lavar as mãos com água e sabão ou higienizador à base de álcool; manter pelo menos 1 metro de distância entre qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando; evitar tocar nos olhos, nariz e boca; ficar em casa se não se sentir bem, entre outras recomendações.