Pra traçar estratégias de atuação entre o Governo do Estado e o Governo Federal, o secretário de Educação, Luiz Castro, reuniu, na manhã desta sexta-feira (26/04), com o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Carlos Alberto Dacotelli. Durante o encontro, que foi realizado na sede da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM), foram apresentadas as dificuldades e necessidades encontradas pela atual gestão para a utilização dos recursos federais disponibilizados para o Amazonas no passado.

Em 2019, esse é o primeiro encontro entre os representantes dos executivos estadual e federal. Além de ouvir as demandas do Estado, o presidente destacou o novo modelo de atuação do órgão, que é ligado ao Ministério da Educação (MEC).

Segundo Dacotelli, a expectativa do Governo Federal é trabalhar para que o FNDE seja mais estratégico. ”A gestão estratégica deve ser prioridade em todos os programas desenvolvidos pelo FNDE. O FNDE sempre foi conhecido no Brasil por ser um agente repassador de recursos para a educação, agora não mais. A nossa missão agora é transformar o FNDE em um gestor estratégico das finanças públicas para a educação e dar suporte às secretarias e demais gestores”.

*Recursos deixaram de ser aplicados -* Durante o encontro, Luiz Castro falou da aplicação dos recursos federais que, segundo ele, foram mal aplicados ou deixaram de ser aplicados por falta de alinhamento com as exigências do FNDE.

“Chegando na Secretaria, nós descobrimos, por exemplo, milhões e milhões de reais depositados em contas de convênios federais de 2011, ou seja oito anos atrás, e fora os recursos que já foram devolvidos. Perder recurso, devolver recurso, com um estado que precisa investir em educação, ou deixar esse recurso parado nos bancos, é errado do ponto de vista financeiro e do ponto de vista ético é desperdício”, ressaltou.