Vídeo: funcionária de loja imobiliza suposta ladra

Um vídeo que começou a circular nesta segunda-feira (1) nas redes sociais mostra uma cena que deixou muitos internautas satisfeitos. Nele uma funcionária de uma loja resolveu tomar uma atitude diante da atitude suspeita de uma jovem que teria tentado levar um produto sem pagar.
As imagens já começam com a atendente montada em cima da acusada, que está deitada no chão. Uma pequena multidão está em volta. Muitos curiosos filmam a situação. Muitos apoiam a vendedora justiceira e alguns poucos acham que ela não precisava ter feito esse papel violento.

O fato é que a história rendeu uma repercussão física e virtual, embora não se saiba se a acusada acabou sendo ou não presa em flagrante.

As imagens já começam com a funcionaria, de camiseta vermelha e calca preta, imobilizando a suspeita, bem mais forte. A jovem apontada como ladra está deitada de costas para o chão e tem as mãos presas pela empregada.

A funcionária afirma para as colegas: “Ela colocou dentro do short olha a prova aí do roubo”.

Depois, se volta para a própria e inicia um pequeno sermão. “Ela tá achando que quem vai pagar é a loja. Quem paga somos nós – vendedores -, quando uma vagabunda que nem você rouba dentro da loja, sua piranha”, xinga.

Alguém que está a poucos metros pode ser ouvido dando apoio. “Arregaça, arregaça”, fala um homem.

 

A moça que está presa tenta sair da situação. Se debata muito com o tronco e as pernas e consegue girar o corpo. A funcionária não arreda o pé e segue numa espécie de jiu jitso. Elas entram em luta corporal por alguns segundos.

As pessoas que estão ao redor ficam aflitas e é possível ouvir vozes: “Gente, segura ela ai, ajuda”.

Outra voz feminina segue na direção contrária e condena a situação. “Isso não resolve assim com violência não”, afirma.

Outra mulher rebate o comentário. “Mas ela não tá violenta, ela tá segurando apenas”, alega.

Um homem já dá a sentença condenando. “Ela foi roubar absorvente”.

O vídeo segue em uma outra tomada de cena. Desta vez a funcionária que já conseguiu controlar a suspeita, assume a palavra ao ouvir alguma justificativa de sua ‘prisioneira’: “problema seu. Pensasse isso antes de entrar na loja pra roubar.

Pensasse nisso entendeu?”, questiona para, na sequência, apelar às colegas. “Gente, chama logo a polícia”.

Mais uma vez a suspeita de furto fala mais alguma coisa inaudível, ao que a trabalhadora retruca: “dane-se, ninguém é vagabundo aqui não”.

O vídeo termina depois de quase um minuto e meio de duração.

PARA ASSISTIR O VÍDEO CLIQUE AQUI.

ver mais notícias