Traficantes dizem que vão matar moradores de prédio que fizerem fotos na varanda

Onde o problema da segurança pública e do tráfico de drogas vai parar? Quando as pessoas poderão viver sem serem tolhidas pelo medo e pela ameaça?

Essas são perguntas que se fazem os moradores de um condomínio em Lins de Vasconcelos, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro desde que um aviso foi afixado no elevador do prédio.

O aviso, colado pelo síndico do prédio pede os residentes que não tirem fotografias de suas janelas ou varandas. Tudo porque próximo ao prédio existem uma favela e os traficantes que comandam o reduto não querem mais ser incomodados em suas atividades criminosas.

De acordo com o comunicado, criminosos que atuam no Complexo de Favelas do Lins foram até o condomínio avisar que caso as fotos continuem, eles mandarão balas. Avisam que sabem quais unidades estão fazendo fotos da comunidade e que não vão tolerar mais este abuso.

Ainda segundo o comunicado, a ameaça foi feita presencialmente, por um representante da comunidade que esteve na portaria do prédio recentemente.

O aviso foi fotografado pelos moradores e enviado à imprensa. Segundo o Jornal Extra, do Rio, um familiar de um condômino que pediu anonimato contou que os recados foram colados nos elevadores na manhã da última segunda-feira (10).

Para ele, algum morador deve ter recebido visitantes e estes visitantes [VIDEO] devem ter clicado a favela, já que quem mora no condomínio já está ciente de não pode usar máquina fotográfica nas varandas ou janelas.

O familiar ainda contou que nem mesmo as câmeras do condomínio estão autorizadas a captar imagens da rua. Por causa disso, as lentes ficam posicionadas apenas para as áreas internas. Se por um acaso houver uma ocorrência na mesma rua do prédio, não haverá registros, explicou o entrevistado.

Ele ainda relatou que mora próximo ao condomínio e já está calejado com o cotidiano violento no bairro. “Nós ouvimos três ou quatro tiroteios por semana. Fiquei bem assustado no início, mas depois a gente se acostuma”.

Um exemplo da violência de que o entrevistado fala é o constante ataque de marginais contra equipes da #Polícia Militar que patrulham a comunidade.

Na manhã desta terça-feira (11), uma viatura foi alvo de tiros quando trafegava pela Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, próximo ao Complexo de Favelas do Lins.

O carro pertencia à (UPP) do Morro do Borel, na Tijuca, que também fica na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Ao longo do dia equipes executaram operações na área e interditaram a via expressa. A PM manteve-se na região até o início da noite.

ver mais notícias