Policial que dirigia Uber mata 3 bandidos que tentaram assaltá-lo; veja vídeo


Um policial militar que dirigia um carro do Uber matou dois homens e um adolescente que tentaram assaltá-lo durante corrida na tarde deste sábado (5) na Cidade Líder, Zona Leste de São Paulo, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP). Um dos homens ainda não foi identificado pela polícia. O outro tinha 19 anos, e o adolescente, 15.

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa. A secretaria não informou se será aberto procedimento interno para apurar a conduta do policial militar.

De acordo com a pasta da Segurança, o PM, que também é motorista do Uber, recebeu uma solicitação de viagem feita por uma mulher. Ao chegar ao local, havia três homens, que pediram ao motorista para parar na casa de uma amiga no meio do caminho. Quando o carro parou, um dos homens anunciou o assalto e apontou a arma para o policial.

Segundo a SSP, o policial reagiu à tentativa de assalto, sacou uma arma e disparou contra os três assaltantes, que não resistiram aos ferimentos.

No vídeo acima, gravado por câmeras de segurança, é possível ver o momento em que um dos assaltantes aborda o motorista, já do lado de fora do carro. O policial reage, apontando a arma para o assaltante, que corre. O policial vai atrás, e os outros dois assaltantes abrem a porta do carro para fugir. O PM volta e atira neles. Um dos assaltantes desaparece da imagem da câmera, mas o outro fica caído no chão, com parte do corpo à mostra.

O vídeo mostra, ainda, que o policial voltou para ir atrás do primeiro assaltante que o abordou. Em seguida, retorna para o carro e aponta a arma mais uma vez para o assaltante que está caído no chão. O PM aponta a arma para ele novamente, se aproxima do assaltante e chuta a cabeça dele antes de se afastar outra vez.

A Polícia Civil encaminhou para perícia duas armas dos assaltantes mortos, uma calibre 32 e outra 38. O local do dos disparos também passou por perícia do Instituto de Criminalística. O caso foi registrado como tentativa de roubo de veículo, ato infracional e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial.

ver mais notícias