O divórcio é o fim? Ou apenas o começo?

A sociedade machista e patriarcal fez mais uma vítima. Dessa vez, mostrando que violência contra a mulher é uma realidade que está além das barreiras sociais. Em Nova York – contra uma atriz conhecida – ou em um bairro periférico do Rio de Janeiro, brasileiras são vítimas todos os dias de algum tipo de agressão.

Apesar da existência de duas leis de proteção (Lei Maria da Penha e Lei do Feminicídio), muitas vítimas se calam diante da situação e preferem não denunciar o agressor. Isso deixa evidente a importância de se falar sobre o assunto. A autora Andrea Marques não deixa isso escapar. Na obra Amor de Cordel, a protagonista Carolina vive uma situação em que ela é agredida fisicamente pelo cunhado.

“— Eu fui levada inconsciente para o cativeiro e não sei quantas horas permaneci desacordada, portanto, não sei o que aconteceu nesse período. O fato é que fiquei sozinha com o Navalha e não tenho nenhuma garantia do que ele possa ter feito comigo.”

Em mais de 80% dos casos, o crime é cometido dentro de casa, por pessoas próximas. Quando o homem sente-se superior em algum aspecto, ele acha que possui algum direito sobre a parceira. A violência não deve fazer parte de nenhum relacionamento, e quando faz, certamente trata-se de uma relação abusiva.

Na vida real ou na ficção, casada ou solteira, branca ou negra, rica ou pobre: nenhuma mulher merece ser agredida. Nunca.

Para saber mais sobre a obra ou a autora. entre em contato pelo e-mail redacao@liliancomunica.com.br ou pelo telefone: (11) 2275-6787.

O livro Amor de Cordel, da autora paulista Andrea Marques, narra a história de uma terapeuta que passa pela separação do casamento de longa data, e recomeça a vida apaixonando-se por um paciente

Com uma narrativa envolvente, a autora paulista Andrea Marques lança o primeiro livro da trilogia, Amor de Cordel. Conversando com o leitor sobre temas polêmicos, como o amor entre um jovem homem e uma mulher mais velha, a impossibilidade de ter filhos e a traição, a leitura é um romance que se apresenta cheio de impossibilidades e reviravoltas.

O enredo roda em torno de Carolina, uma terapeuta ocupacional que acaba de passar por uma separação abrupta do casamento de mais de 14 anos. Separada, ela precisa recomeçar a vida, mesmo já sendo independente financeiramente. Com 38 anos, tímida e sem muitos amigos, as chances de encontrar um novo amor são pequenas.

“As palavras dele ficaram se repetindo na minha mente e mesmo assim eu não conseguia entender o que ele estava dizendo. Depois de catorze anos juntos ele estava falando que não me amava mais? Que estava apaixonado por outra mulher? Não consegui dizer nada, estava atônita.”

Entretanto, o jovem arquiteto Alexandre entra na vida da terapeuta e a vira de cabeça para baixo. Jovem, bonito e muito comunicativo, Alexandre é o total oposto de Carolina. Apesar de tudo, ela se apaixona perdidamente por ele, trazendo à tona sentimentos conflituosos sobre valores, como mulher e como terapeuta.

“Mordi os lábios quando terminei a frase, e sem querer admitir para mim mesma, pedi secretamente aos céus que Alexandre realmente fosse apenas mais um paciente para mim.”

Agora, com um novo amor, resta a ela enfrentar as dificuldades que a vida lhe impor no caminho. Permeado por traições e intrigas, Amor de Cordel é um romance contemporâneo que desperta a paixão até mesmo nas leitoras mais modernas e independentes.

Sobre a autora:
Andrea Marques, 40 anos, é casada e tem uma filha de 2 anos. É formada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos e, durante 15 anos, atendeu pessoas com sequelas neurológicas e ortopédicas em clínicas de reabilitação e hospitais. Foi com base nas histórias de seus antigos pacientes e na própria história que teve inspiração para criar as personagens de Amor de Cordel.

 

ver mais notícias