Professora é presa por estupro de aluno de 13 anos

feminista-aluno-696x629Uma professora conhecida nas redes sociais por seus discursos feministas foi presa na noite de ontem (26/10/2016) após evidências demonstrarem que ela teria violentado sexualmente um aluno de 13 anos.A professora Helena Ramirez ministra a disciplina Sociologia em escolas públicas e particulares em Guarulhos, zona leste de São Paulo. Na noite de ontem ela foi abordada em sua casa por policiais que a apresentaram um mandado de prisão. No mandado estava descrito uma prática que para ela parecia pedagógica, mas a polícia civil interpretou como abuso sexual de menores.

O menor J.C.L.M. de 13 anos mantinha há 5 meses um relacionamento íntimo com a professora Helena, fato comprovado por diversas fotos e vídeos íntimos descobertos no celular da vítima. O flagrante foi dado pela mãe da vítima que ficou atordoada ao perceber que o filho se relacionava com sua ex-colega de trabalho. A mãe do jovem que é pedagoga já foi diretora de Helena em uma ONG intitulada “Criança feliz é criança protegida”.

Em sua defesa a professora argumentou que as fotos e vídeos eram parte de um manifesto contra a pornografia de vingança contra a mulher. Que o material não identificaria o menor, pois as imagens seriam tratadas no photoshop para preservar a identidade dos dois. A campanha teria o título “Vazar nudes é crime machista”.

Helena afirmou em depoimento “tudo se trata de um mal entendido. Infelizmente o machismo quer desmoralizar minha luta pela defesa da dignidade da mulher. As fotos tinham conotação artística e mostravam o homem em situação de submissão a mulher. É um machismo tolo e inconsequente tratar como crime uma performance artística e pedagógica”.

Relações sexuais ou qualquer ato libidinoso entre adultos e menores de 14 anos é considerado estupro de vulnerável, independente de a vítima consentir. A professora Helena pode ser condenada a uma pena de reclusão de 2 a 5 anos. Os coletivos femininos estão se organizando para uma ocupação da Delegacia em que ela está encarcerada.

PS. Por uma questão de segurança dos policiais e detentos desta delegacia a reportagem da FOLHA não foi autorizada a divulgar o endereço do cárcere onde se encontra a professora Helena Ramirez. Teme-se que mais militantes procurem o local para manifestações em defesa da feminista.

Conteúdo Folha de São Paulo

 

ver mais notícias