VEP determina transerência de 15 presos envolvidos em resgate de traficante no Souza Aguiar

RIO – O titular da Vara de Execuções Penais (VEP), juiz Eduardo Oberg, determinou nesta terça-feira, dia 21, que 15 presos, hoje custodiados no Complexo Penitenciário de Gericinó, sejam transferidos para unidades prisionais federais fora do estado do Rio de Janeiro. De acordo com o magistrado, as gravações de áudio em comemoração pelo resgate do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, mais conhecido como “Fat Family”, recebidas pelo tio do criminoso dentro da cadeia, evidenciam a necessidade de desarticulação imediata da quadrilha e seu constante monitoramento de modo rigoroso.

Além disso, diante da informação de uma suposta festa que teria acontecido nas galerias da prisão depois da fuga de “Fat Family”, o juiz determinou a abertura de dez procedimentos investigatórios e de inquéritos na Delegacia de Homicídio (DH) e na Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) para apurar as denúncias de entrada de lanches na unidade na ocasião, além dos celulares, roteador de 8kg (que possibilitava comunicação via wi-fi livre na região) e munição encontrados.

“Diante da omissão da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, determino que cada um dos fatos narrados seja investigado. Os casos da munição e dos lanches, por exemplo, vão ser investigados pela 34ª DP, que é a delegacia responsável por aquela área”, disse o magistrado.

Entre os presos estão Edson Pereira Firmino de Jesus, tio de Fat Family e acusado de ter planejado a fuga; Marcio Gomes Medeiros Roque, o Marcinho do Turano; Marcelo Fonseca de Souza , o Xará; Sandro Batista Rodrigues, o Naiba; Aleksandro Rocha da Silva, o Sam da Caico.

A abertura de investigação sobre o envolvimento de presos do Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, havia sido determinada na segunda-feira, pelo juiz Eduardo Oberg depois que presos comemoraram com festa a invasão do Hospital Souza Aguiar, no Centro, que deu fuga ao traficante.

ver mais notícias