Vacinação contra H1N1 tem dia D neste sábado no estado do Rio

RIO – O Dia D da Campanha Nacional contra a gripe, promovida pelo Ministério da Saúde, acontece neste sábado em todo o estado do Rio e no Brasil. A campanha foi adiantada na última segunda-feira para gestantes, crianças de seis meses a cinco anos e pacientes renais crônicos devido ao aumento do número de casos de gripe H1N1. A partir deste sábado, a ação, que vai até o dia 20 de maio, passa a abrangir idosos com 60 anos ou mais, mulheres até 45 dias após o parto, pessoas com doenças crônicas, trabalhadores da saúde, indígenas, além de internos e funcionários do sistema prisional .

Em Copacabana, no Centro Municipal de Saúde João Barros Barreto, a movimentação era intensa e com filas, mas o atendimento fluia normalmente. A diretora do posto, Simone Annes, conta que os idosos formam a maioria do público e aponta a importância da manutenção da campanha:

— O bairro concentra muitos idosos e a procura por parte deles é muito grande. As filas estão dentro da normalidade. Damos prioridade aos cadeirantes, gestantes e pessoas com dificuldades de locomoção. O posto participa da campanha anualmente, é o que mais vacina. É muito importante que o Ministério da Saúde mantenha a campanha todos os anos, pois há uma diminuição significativa de infecções respiratórias nesses grupos — conta Simone.

Zilda Gonçalves, de 86 anos, tomou a vacina pela primeira vez. A aposentada, que mora em Duque de Caxias, elogiou a campanha:

— Nunca tinha vindo para me vacinar contra a gripe. Aproveitei que viria em Copacabana e vim até o posto. Essas campanhas de vacinação nos livram de passar por coisas ruins, é maravilhoso — conta Zilda.

Serão distribuídas, ao todo, 54 milhões de doses da vacina, sendo 4,4 milhões para o estado do Rio. A meta é vacinar, pelo menos, 80% da população prioritária, considerada de risco. A campanha será realizada até 20 de maio e tem o objetivo de reduzir as internações, complicações e mortes em decorrência da doença. links gripe H1N1

Em todo o país, 49,8 milhões devem ser vacinadas durante o período da campanha. O público-alvo é formado por crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; povos indígenas; gestantes; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas; e os funcionários do sistema prisional.

Também serão vacinadas pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais. A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde protegerá a população contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela OMS para este ano: A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

ver mais notícias