Jogos Olímpicos mudam o cenário de cartões-postais no Rio

RIO — A cerca de dois meses do início da Olimpíada do Rio, no dia 5 de agosto, as instalações provisórias das áreas de competição e de apoio começam a aparecer na paisagem da cidade. Na Lagoa Rodrigo de Freitas, estão sendo instaladas as torres de controle e cronometragem das provas de remo e de canoagem de velocidade. As estruturas são apoiadas em estacas colocadas abaixo do espelho d’água. Nos Jogos, os blocos de partida ficarão localizados próximo à Fonte da Saudade e a chegada será no Estádio de Remo.

Após atrasos e a troca da construtora responsável pelas obras no local — em fevereiro deste ano, a Giver deu lugar à Dimensional —, já estão prontas as nove garagens para barcos reformadas. A torre de chegada recebe agora dois andares temporários e o elevador. O custo total das intervenções é de R$ 14,6 milhões, bancados pelo governo estadual. Por falta de recursos, o Comitê Rio 2016 substituiu a arquibancada flutuante por uma estrutura provisória com cinco mil lugares na beira da Lagoa. A dragagem das raias de competição está a cargo da prefeitura e deve terminar no início de julho.

Já na Praia de Copacabana, na faixa de areia entre as ruas Bolívar e Xavier da Silveira, é possível ver uma enorme instalação azul de quatro andares, que vai abrigar estúdios de TV durante os Jogos Olímpicos, sob responsabilidade da Olympic Broadcasting Service. Apesar de ser provisória, a construção provocou reação da Sociedade de Amigos de Copacabana, que entrou com uma representação no Ministério Público contra a obra.

ver mais notícias