Advogado de um dos suspeitos de estupro coletivo diz que vai tentar revogar pedido de prisão

RIO – A mãe de Marcelo Miranda da Cruz Corrêa, de 18 anos, um dos suspeitos de divulgar as imagens do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos em uma rede social, foi levada de casa, na Cidade de Deus, para a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), no Centro, onde permaneceu durante uma hora. Segundo o advogado Igor Luís de Carvalho, ela não prestou depoimento.

– Não entendi muito bem por que trouxeram ela para cá. Não tinha a necessidade de pedir a prisão dele. Ele divulgou uma foto. Nem conhece as pessoas que participaram do estupro. Não conhece a menina. Não vou apresentá-lo numa situação dessa. Vou tentar revogar o mandado de prisão – afirmou o advogado.

A Justiça decretou a prisão de Marcelo e de mais cinco suspeitos de envolvimento no caso. Todos os seis já são considerados foragidos porque não foram encontrados durante operação feita nesta manhã em comunidades da Zona Oeste. Além de Marcelo, são procurados são Sérgio Luiz da Silva Júnior, conhecido como Da Russa; Raphael Assis Duarte Belo; Michel Brasil da Silva; Lucas Perdomo Duarte Santos; e Raí de Souza. Da Russa é o chefe do tráfico do Morro do Barão, na Praça Seca.

ver mais notícias