A união de Arthur e Braga caiu como BOMBA no meio político " Golpe de Mestre com gostinho de traição"

A informação sobre a aproximação do PSDB com o PMDB caiu como uma bomba no meio político, na terça-feira, porque no Amazonas os tucanos eram adversários dos peemedebistas desde as eleições de 2010, quando Arthur disputou o Senado e foi derrotado pelo grupo de Eduardo Braga (PMDB), que se elegeu e levou com ele a senador Vanessa Grazziotin (PCdoB). Marcos Rotta aparecia nas pesquisas de intenção de voto como o nome mais expressivo entre os adversários de Arthur, inclusive, em uma delas, empatado com o tucano no segundo turmo.

psd-de-omar-aziz-confirma-apoio-a-arthur-neto-g

119479_697x437_crop_5761d8669647f

O senador Omar Aziz (PSD) fez manobras mirabolantes para lhe colocar em gueto político. Manobrou, para a candidatura de Silas Câmara à PMM, sua real intenção e lançar Silas Câmara ao senado em 2018. Conflito com os seus interesses. Ele mesmo, já declarou que candidato ao Governo Estadual em 2018.

Senador Omar Aziz (PSD), que há duas semanas havia declarado apoio dele e do PSD ao prefeito rompeu a aliança, alegando que o projeto do partido para a cidade de Manaus que não tem afinidade com o PMDB de Braga.

Em entrevista ao Portal BNC o Senador Omar falou:

“Esse tipo de conversa não me agrada. Se faz isso comigo, imagina com os outros. Essa aliança está totalmente descartada. É impossível eu continuar apoiando o prefeito Arthur Neto”. Foi assim que o senador confirmou o racha com o prefeito de Manaus, afirmando ter sido surpreendido com a notícia do encontro, publicada em primeira mão pelo BNC na noite de terça-feira, dia 2.

Dando a entender que ficou sabendo da reunião pela matéria do site, da mesma forma que o apresentador do programa da rádio Tiradentes (que o entrevistou nesta manhã de quarta-feira, dia 3), como sugeriu ao responder se tinha sido procurado pelo prefeito para comunicar o fim do namoro do PSD com o PSDB, Omar disse que se arrependeu de ter declarado apoio a Arthur há duas semanas, na convenção do seu partido.

Embora naquele encontro o prefeito já tenha sinalizado de que não corresponderia ao gesto de apoio de Omar. Afinal, com o indicado do senador ao seu lado no palanque, Arthur simplesmente frustrou a todos ao não pegar a mão de Josué Neto e anunciá-lo como o seu candidato a vice. Essa era a expectativa do senador e do PSD.

Também cobrou a fatura do apoio que deu a Arthur para liberação de empréstimo à prefeitura.

“Muita coisa que está sendo feita neste momento foi graças ao meu esforço para aprovar o dinheiro (empréstimo) para a prefeitura. Sem isso, a prefeitura estaria na UTI”, alegou.

Acentuando a decepção com a atitude de Arthur ao trair a relação se encontrando às escondidas com Braga, Omar destacou:

“Tudo tem limite. Quem tem respeito por si, respeita os outros. Quem não se respeita, não respeita os outros. Neste momento. Impossível eu fazer uma aliança política com quem não tenho afinidade”.

O senador não descartou a possibilidade de ser candidato a prefeito. “Manaus precisa de vigor, e não só de experiência. Experiência que culturalmente fica com a boca torta não vai ajudar a cidade”.

 

 

ver mais notícias