Prefeitura estuda ampliar programa habitacional 'Minha Casa, Minha Vida' em Manaus

Até o final da atual gestão, a Prefeitura de Manaus deverá ofertar mais de três mil moradias populares pelo programa “Minha Casa, Minha Vida”. Em reunião com a diretoria regional da Caixa Econômica Federal, realizada nesta quarta-feira, 26/4, no Centro Cultural Palácio Rio Branco, no Centro, novos projetos foram apresentados para reduzir o déficit de moradia na capital.

Prefeito Artur Neto e Vice Marcos Rotta Fazem reunião com representantes da Caixa Econômica Federal, para tratar sobre ampliação do programa Minha Casa Minha Vida.
Foto: Alex Pazuello / Semcom

De acordo com o prefeito Arthur Virgílio Neto, o Município conseguiu estabelecer uma boa parceria com o Governo Federal neste sentido, que já possibilitou a entrega de 784 apartamentos, com a entrega do Residencial Cidadão Manauara 1, localizado na zona Norte da cidade.

“Estamos partindo para o Manauara 2 e já com boas perspectivas para o Manauara 3. Estamos aqui estreitando laços com uma instituição que também pensa na coisa pública e que vai nos possibilitar resolver a segunda maior demanda de Manaus, que é por moradia, ficando atrás somente da busca por novas vagas de emprego”, destacou Arthur Virgílio.

Em nível nacional, o Ministério das Cidades anunciou a ampliação do Minha Casa, Minha Vida com a construção de 100 mil novas moradias populares em todo Pais. Os projetos estão em fase de seleção. “Essa fase do programa será voltada para as pessoas com renda salarial de até R$ 1.800,00. Em Manaus, dois projetos foram apresentados e a perspectiva é de que os pleitos sejam atendidos, uma vez que nossa parceria com o Município tem sido bastante proveitosa”, afirmou Wellington Lopes, gerente regional da Caixa Econômica Federal.

Para diminuir o déficit habitacional da cidade de Manaus, a Subsecretaria de Habitação e Assuntos Fundiários da Casa Civil (Subhaf) trabalha na criação do Plano Local de Habitação e de Interesse Social, que funcionará com uma espécie de Plano Diretor da Habitação e Regularização Fundiária, possibilitando, ainda, que o governo municipal possa garantir por recursos próprios os programas habitacionais para Manaus.

“Nossa expectativa é de que nos próximos dias o Projeto de Lei já seja enviado para deliberação na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Após sua aprovação, a cidade se torna apta a também receber recursos de ONGs internacionais, fortalecendo o Fundo Municipal de Habitação. Com essa medida, o governo municipal poderá ter recursos próprios para investir nessa questão tão importante para população, sobretudo aquelas que ocupam as áreas de risco da capital”, explicou Arimatéia Viana, que está à frente da Subhaf.

Foto: Alex Pazuello / Semcom

Também participaram do encontro o vice-prefeito, Marcos Rotta; a primeira-dama, Elisabeth Valeiko; além de representantes das secretarias municipais de Educação (Semed), Infraestrutura (Seminf), Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e de Comunicação (Semcom).

ver mais notícias