Notícias sobre prisão e espancamento de suposto criador do jogo Baleia Azul são FALSAS

 

Essa semana, a notícia de que o criador do jogo Baleia Azul havia sido preso e sofrido um espancamento na prisão começou a ser divulgada nas redes sociais, mas tudo não passa de uma mentira. A inverdade teve destaque na mídia através de mensagens de WhatsaApp, e em páginas do Facebook, com sites de divulgação repassando a suposta reportagem. No entanto, o caso não passou de uma invenção jornalística montada nos mínimos detalhes para atrair a atenção dos leitores.

A notícia divulgada apontava que o idealizador do jogo suicida seria o russo Phillip Budeikin, de 21 anos, que está preso desde novembro de 2016.  O fato passou como verdade, porque o rapaz conhecido como Phillip, The Fox (A raposa), foi indiciado como responsável pela organização de oito grupos em uma rede social russa que incentivam ao suicídio. Pelo que foi apurado pela polícia russa, cerca de quinze adolescentes tiraram suas próprias vidas entre 2013 a 2016, depois de acessarem a página controlada por Phillip.

Por essa informação, já fica claro que o criminoso não foi preso nas últimas semanas, e muito menos pela criação do jogo Baleia Azul. A semelhança dos crimes que cometeu deu veracidade à notícia falsa que chegou a ser compartilhada cerca de cem mil vezes. Mas não há nada concreto que comprove a participação do jovem na idealização do game que tem assustados pais e mães brasileiros.

A ‘brincadeira’ consiste em mensagens divulgadas pelo whatsApp, onde adolescentes são estimulados a realizarem cinquenta tarefas, sendo a última delas, o ato de tirar a própria vida. Além dessa informação, a notícia falsa ainda divulgava o fato de o suposto criador ter sido espancado na prisão até quase a morte. A reportagem dizia que ele estaria nu dentro de uma cela, quando recebeu inúmeros golpes, enquanto os agressores o chamavam de monstro.

Em uma das frases veiculadas o autor do texto falso disse que Phillip teria dito no momento do espancamento que era um monstro sem vergonha e um tarado. A notícia ainda diz que o fato teria ocorrido no último dia 28 de abril sem nenhum indício de verdade. Além de vários erros de português o texto teria inventado o nome de um suposto delegado que seria responsável pelo caso, para endossar a mentira.

Para piorar a situação as fotos veiculadas juntamente à notícia, que supostamente mostram Phillip com vários hematomas e cortes no rosto, são de outra pessoa. Quem aparece nas imagens é Tom-Jan Husch, um alemão, que foi acusado de espancar seu cão em 2014 e filmar as agressões. O autor da reportagem teria adulterado as imagens de Tom em photoshop, para fazer parecer que o mesmo era Budeikin, que tinha sido agredido. Essa mesma imagem havia sido divulgada em outra notícia falsa em 2014, quando Tom foi acusado pelas agressões.

O caso traz um alerta, o de que os leitores devem ficar atentos com as fontes das notícias que lêem, sendo críticos com as notícias que são veiculadas.

ver mais notícias