José Melo para se vingar de Arthur, prejudica a população de Manaus, aumento das passagens poderá chegar a 3,80

A grande maioria da população de Manaus, que anda de ônibus, está ameaçada de ter um novo reajuste na tarifa porque o governador José Melo, para se vingar do prefeito Arthur Neto, tirou a isenção do ICMS sobre o diesel consumido pelas empresas de transporte coletivo, bem como do IPVA.

Desde o ano passado, o aumento da passagem tem sido alvo de luta judicial entre o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) e a Prefeitura de Manaus.

Prefeitura arca com R$ 0,25 de subsídios na passagem convencional. O valor referente à passagem estudantil é de R$ 0,15. Os valores representam R$ 5 milhões por mês em subsídios. 

Em contrapartida, as empresas se comprometeram em renovar e aumentar a frota de ônibus. A Prefeitura anunciou também que deve reforçar a fiscalização de transporte irregular. Além disso, os pontos de ônibus voltam a ser responsabilidade da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos(SMTU).

Na entrevista coletiva do dia 16/02 Arthur esclareceu

De acordo com prefeito, a decisão do governo de cobrar o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do combustível e do Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) vai acarretar no aumento da passagem cobrada pelos coletivos.

“Fiz um apelo ao Governador para que ele caia em si e perceba que ele concede quase R$ 7 bilhões de incentivos por ano e está se declarando contra incentivar o barateamento do transporte coletivo no valor de R$ 43 milhões”, disse o prefeito.

Durante a coletiva, Arthur pediu que o governador José Melo volte a conceder o incentivo voltado pra o combustível dos ônibus do transporte público de Manaus. “Querem forçar que a prefeitura viabilize concedendo um subsídio que está fora do alcance dela, ou forçar que o povo pague uma tarifa que não pode pagar?”, questionou.           

Com este cenário, Arthur afirmou que a prefeitura de Manaus deve aguardar que o governador José Melo “volte atrás” na decisão de suspender o incentivo repassado pelo governo para o transporte. “Eu vou esperar por uma resposta dele. Ele vai responder como achar que deve e vamos ver a atitude que eu deva e possa tomar”, disse Arthur, questionado sobre um possível novo reajuste na tarifa do transporte público.

 

ver mais notícias