Irmão de José Melo, depõe na Maus Caminhos na PF

Alecrim, Evandro e Zaidan depuseram ontem à tarde

Ontem à tarde (9), foram ouvidos o ex-secretário de Estado de Saúde Wilson Alecrim, o ex-secretário de Administração Evandro Melo e o ex-chefe da Casa Civil do Amazonas Raul Zaidan. Em resposta à pergunta do advogado de defesa de Mouhamad, Wilson Alecrim afirmou que um dos critérios para implantação da gestão descentralizada com uso de Organizações Sociais é a economia que este modelo poderia trazer aos cofres públicos. “Quando foram implantadas as unidades descentralizadas de saúde, um dos critérios era ter grau de economicidade para o Estado, ou seja, inclusive isto deveria ser colocado como regra para quer pudesse se integrar a política de governo”, afirmou.

O irmão do governador cassado José Melo, o ex-secretário Evandro Melo, disse em depoimento que, em 2015, o governo do Estado teve que fazer cortes de recursos em diversos setores e um deles foi a área de saúde, afetando, inclusive, os pagamentos para o Instituto Novos Caminhos. Segundo Evandro, o médico o procurou para tratar dos atrasos de pagamentos e ainda afirmou conhecer Mouhamad. “Fizemos uma reunião com todos os fornecedores para discutir o cronograma de pagamentos e ele estava presente na reunião”, disse.

Em seu depoimento, o ex-chefe da Casa Civil Raul Zaidan afirmou não ter intermediado em favor de Mouhamad e as empresas dele para receber os pagamentos do Estado.

Para a advogada de Mouhamad e Priscila, Simone Guerra, os depoimentos demonstraram que todas as verbas eram Estaduais. “Foi importante porque conseguimos demonstrar também que nunca houve uma verba antecipada, sem que houvesse a prestação dos serviços. Os serviços foram prestados e o governo e os secretários demonstraram que houve uma emergência e o Estado precisava que os trabalhos fossem iniciados e, portanto, foi chamado o INC antes da assinatura destes contratos”, afirmou. Com informações D24

ver mais notícias