"Governador é arrogante e orgulhoso" descreveu á Associação Amazonense de Pneumologia e Cirurgia Torácica para atitudes de José Melo

A Associação Amazonense de Pneumologia e Cirurgia Torácica divulgou nota de repúdio neste domingo, 22, contra o Governo do Amazonas pelo fechamento da Policlínica Cardoso Fontes. O hospital é referência no tratamento de tuberculose no Estado e, na sexta-feira, 20, o governador José Melo anunciou o fechamento da policlínica, com descentralização das atividades para unidades básicas de saúde.

A entidade lembra que o Estado do Amazonas “carrega o triste fardo de ter a maior incidência de novos casos de tuberculose no país”. Por outro lado, a clínica do Cardoso Fontes funciona há cerca de 100 anos em Manaus como referência no tratamento da tuberculose, e não pode ser fechada, por ser responsável pelo tratamento dos casos com resistência aos medicamentos, manejo de reações adversas mais graves e condução do tratamento em situações especiais (pacientes renais crônicos, cirróticos, entre outros).

A nota de repúdio, assinada pelo presidente da Associação Amazonense de Pneumologia e Cirurgia Torácica,  Evandro Azevedo Martins, diz a crise por que passa o país “não pode ser justificativa para mais agressões à população. Um exemplo de atitude de tal magnitude foi a recente decisão do Governo do Estado do Amazonas de fechar o Cardoso Fontes, centro de referência amazonense no tratamento da tuberculose.”

Para a entidade, a atitude “unilateral”  do governo foi arrogante e soberba, fechou os olhos para o fato de o Amazonas possuir um dos piores indicadores desta doença no Brasil, e que os habitantes do Estado, em especial os de Manaus, se arriscam diariamente a adquirirem a doença em face desta situação epidemiológica que vivemos há muito tempo.

Por fim, a associação diz que o custo do Cardoso Fontes é ínfimo dentro do custo geral da Susam (Secretaria de Estado de Saúde) porque boa parte dele é subvencionada pelo governo federal, através de repasses do SUS. A entidade clama ao governo do Estado para que reveja a decisão de fechar o Cardoso Fontes e se coloca à disposição para contribuir. 

Nota:

A Policlínica Cardoso Fontes não pode ser fechada!

O Estado do Amazonas carrega hoje o triste fardo de ter a maior incidência de casos novos de Tuberculose do país (Boletim epidemiológico do MS, 2016). E sabemos hoje que a TB é a doença infecto-contagiosa que mais mata no mundo, segundo a OMS. O que essa informação deveria provocar? Mobilização intensa de nossos gestores para modificar esse índice com urgência, mas para nossa surpresa, nessa sexta-feira recebemos a notícia do fechamento da Policlínica Cardoso Fontes com descentralização das atividades da mesma para unidades básicas de saúde… A Clínica funciona há cerca de 100 anos como referência no tratamento da TB, sendo hoje responsável pelo tratamento dos casos com resistência aos medicamentos, manejo de reações adversas mais graves e condução do tratamento em situações especiais (pacientes renais crônicos, cirróticos, entre outros).

Essas atividades demonstram que ela funciona atendendo um maior nível de complexidade (secundária e terciária) e que esse tipo de responsabilidade não pode ser desviada para unidades básicas de saúde (atenção primária). Logo, a decisão dos gestores, demonstram desconhecimento do funcionamento do SUS e da gravidade da situação epidemiológica do Estado em relação a tuberculose.

Solicitamos a sociedade que se mobilize para reverter essa decisão!

Segue abaixo nota de repúdio da Associação Amazonense de Pneumologia e Cirurgia Torácica.

“Associação Amazonense de Pneumologia e Cirurgia Torácica

Nota Oficial

A grave crise política, administrativa e econômica que atinge o Brasil e em especial o Estado do Amazonas, fruto de uma histórica falta de compromisso dos políticos que gerem os destino de nosso país e do nosso Estado, não pode ser justificativa para mais agressões à população. Um exemplo de atitude de tal magnitude foi a recente decisão do Governo do Estado do Amazonas de FECHAR o Cardoso Fontes, centro de referência amazonense no tratamento da tuberculose.

Esta instituição pública que nasceu do esforço, no passado, da sociedade civil, hoje é fechada sem que exista nenhuma justificativa técnica, epidemiológica e econômica para tal fato.

A atitude unilateral, arrogante e soberba do Governo Estadual fechou os olhos para o fato de o Amazonas possuir os piores indicadores desta doença no Brasil, e que os habitantes do Estado, em especial os de Manaus, se arriscam diariamente a adquirirem a doença em face desta situação epidemiológica que vivemos há muito tempo.

O Cardoso Fontes é o serviço de saúde pública que dá suporte operacional e de expertise aos postos de saúde dispensadores dos medicamentos para a tuberculose; acompanhando e orientando o tratamento das tuberculoses extra-pulmonares; assessorando o tratamento dos pacientes portadores de HIV-AIDS e principalmente coordenando o tratamento dos pacientes multi-droga resistentes, situação que coloca a doença fora de controle em nível mundial.

O custo do Cardoso Fontes é ínfimo dentro do custo geral da SUSAM, pois boa parte dele é subvencionada pelo Governo Federal através de repasses do SUS; de tal forma que a relação custo/benefício com o encerramento de suas atividades se manifestará apenas e exclusivamente em MALEFÍCIOS para a população.

A Associação Amazonense de Pneumologia e Cirurgia Torácica clama pelo bom senso do Governo do Estado, no sentido que reveja a posição equivocada de encerrar as atividades do Cardoso Fontes, ao mesmo tempo em que se coloca a disposição do Governo do Estado e das forças vivas da sociedade para contribuir com sua expertise para construirmos uma saúde pública de qualidade e eficiência.

Manaus, 22 de maio de 2016

Dr. Evandro Azevedo Martins – Presidente”

Contéudo http://amazonasatual.com.br/associacao-diz-que-fechamento-do-cardoso-fontes-e-atitude-arrogante-e-soberba-de-melo/

ver mais notícias