Em quem confiar? Desembargadora é suspeita de vender alvará de soltura para traficantes

Um dos alvos da segunda fase da Operação La Muralla é a desembargadora Encarnação Salgado.

Segundo a denúncia, Encarnação é suspeita de vender alvará de soltura para traficantes de Manaus.

A Polícia Federal cumpri mandados de busca e apreensão no gabinete de Salgado, do juiz da Vara de Execuções Penais, Carlos Valois, e em casas e escritórios de quatros advogados ligados a ações que tramitam no tribunal envolvendo traficantes de drogas.

O prédio do Tribunal de Justiça do Amazonas e o edifício Desembargador Arnoldo Peres, no Fórum Ministro Henoch Reis está interditado a partir do sexto andar, onde ficam os gabinetes da desembargadora e de Valois, respectivamente.

“La Muralla” 
No dia 20 de novembro de 2015, em ação coordenada, cerca de 400 policiais federais, 300 policiais militares do Batalhão de Choque e do Grupo Fera da Polícia Civil do Estado do Amazonas cumpriram 127 mandados de prisão preventiva, 67 mandados de busca e apreensão, sete buscas em presídios estaduais, 68 medidas de sequestro de bens, além do bloqueio de ativos registrados em 173 CPFs e CNPJs ligados a integrantes da organização criminosa, todos determinados pela Justiça Federal no Amazonas

A operação teve o objetivo de desarticular uma facção criminosa que atuava dentro do sistema prisional do estado. Além do crime de tráfico de armas, a organização criminosa é suspeita de praticar lavagem  dinheiro, evasão de divisas, roubo, homicídios, sequestro, tortura e corrupção de agentes públicos.

ver mais notícias