Debate revela que estratégias de ataques pessoais e mentirosos a Artur vão continuar

dsc_8359O primeiro confronto entre os candidatos em debate para o segundo turno das eleições deixou claro que Artur Neto, da coligação Por Uma Só Manaus, vai enfrentar a mesma estratégia de mentiras criadas na propaganda de Marcelo Ramos no primeiro turno, que lhe valeram quase 230 direitos de respostas. A Justiça Eleitoral teve que prorrogar o horário gratuito em dois dias, apenas para que Artur respondesse às mentiras e ofensas de seu adversário.

“Estou frustrado, porque não vi propostas do outro lado. Eu vi a tentativa de me insultar, uma pessoa que não olha de forma muito reta a vida, dar um tapa e esconder a mão. Eu apresentei propostas. Ficou patente o destempero. Se trata de uma candidatura de pouca responsabilidade”, disse Artur.

Logo no primeiro bloco, dois assuntos conhecidos: a suposta arrecadação bilionária, que teria dado à atual gestão 5 bilhões que não foram utilizados em investimentos e 300 mil pessoas levadas ao SPC por dívidas com IPTU. Artur voltou a dizer que dos tais 5 bilhões, descontados os reajustes de salários dos servidores, inflação do período, reestruturação da Previdência dos Servidores, restou pouco mais de R$ 200 milhões/ano para investimentos.

Em relação aos débitos do IPTU, Artur disse que seria irresponsável se não cobrasse as dívidas existentes em detrimento de obras e serviços necessários à população e confirmou a existência da cobrança de 26 mil e não 300 mil contribuintes, como afirma Marcelo.

Marcelo tentou se desvincular da Operação Maus Caminhos e sua ligação com o governo Melo, que está em seu arco de alianças, tentando colar na administração municipal os crimes cometidos na esfera estadual.

Os ataques também foram desferidos para o lado pessoal, o que levou a direção do programa a conceder um minuto de direito de resposta para Artur se defender das ofensas. Ele preferiu usar o tempo para falar de suas propostas, como a de construir o BRT, implantar o Proemem para construção de novas escolas e reforçar as estratégicas educacionais para reduzir evasão, distorção série-idade e reprovações. Artur falou ainda da construção do BRT e completar a implantação da cidade inteligente.

“É a hora da responsabilidade. Hora do povo decidir quem vai continuar a comandar esse barco: o grupo que faliu a saúde ou quem organizou as finanças, plantou uma bela colheita a favor do nosso povo. É hora do voto”, finalizou Artur.

dsc_8187

Fotos: Mário Oliveira

ver mais notícias