Crise financeira no Estado?? Somente para funcionários públicos, para empresas apadrinhadas do Governador e primeira-dama não tem crise, estão recebendo!

O Governador José Melo diz na imprensa e para e presidentes e gestores do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Ministério Público do Estado (MP-AM), Defensoria Pública Geral do Estado (DPE-AM) e da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), que a situação financeira está crítica no Estado, que fará mais cortes e reajustará as contas.

Em nota, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) informou que, na reunião, o governador “José Melo fez um panorama da situação econômica do Estado, que vem se agravando com a queda sucessiva na arrecadação e pediu união de forças para impedir que a crise tenha maiores impactos sobre os serviços prestados por estes órgãos à população”.

Veja bem: O Governo do Amazonas, não paga há cinco meses às empresas de vigilância terceirizadas do Estado.

Os médicos e enfermeiros do Hospital 28 de Agosto passam dos quatro meses que não recebem se quer ajuda de custo dos plantões.

Em todo o Estado do Amazonas os funcionários públicos do setor da Polícia, educação e saúde estão há mais de cinco meses sem receber um centavo dos salários do Governo.

No dia 6, início deste mês, o governador afirmou que o pagamento do 13º salário do funcionalismo público estava programado para ser pago em julho, a primeira parcela, mas não descartou a reprogramação do pagamento caso a crise econômica se agravasse. “O 13º (salário) continua programado, mas se a crise agravar, aí ninguém sabe. Não tem nada descartado, mas também não posso dizer que ‘dessa água não beberei’”, disse José Melo.

Por outro lado, empresas terceirizadas e não licitadas apadrinhadas por Melo, o irmão Evandro Melo e a primeira dama Edilene, continuam recebendo religiosamente em dias os pagamentos e ficam ostentando carros novos e viagens internacionais em redes sociais. (matéria que será publicada esta semana aguarde!)

A Primeira Dama do Estado, Edilene Gomes, o irmão do governador, Evandro Melo, possuem o maior esquema de apadrinhamento com empresas que prestam serviços para o Governo, na maioria não passa por licitações e quando estão licitadas os amigos deram uma pequena ajuda na aprovação dos documentos. Com a prestação de contas e as investigações de desvio de recursos do Governo para reeleição, poderá desvendar o mistério da crise no Estado, esperamos agora a transparência nas apurações.

Já na próxima quinta feira (25), as contas do primeiro ano de gestão do governador do Amazonas, José Melo, referente ao exercício de 2015, serão apreciadas, em sessão especial, pelo colegiado do TCE-AM(Tribunal de Contas do Estado do Amazonas. A data foi proposta pela conselheira-relatora das contas, Yara Lins dos Santos, e aceita pelos conselheiros, na sessão desta quarta-feira (18).

Na apreciação das contas gerais do governo do Estado, o TCE avalia, entre outros aspectos, o cumprimento dos percentuais de recursos previstos em lei nas várias áreas da administração pública e o respectivo desempenho. O procurador-geral do Ministério Público de Contas, Roberto Krichanã, é o responsável pelo parecer nas contas de José Melo. Aprovaram a realização da sessão especial os conselheiros Júlio Cabral, Érico Desterro, Josué Filho e o conselheiro-convocado e auditor Mário Filho.

ver mais notícias