Casa da família de PM envolvido em sumiço de trio é invadida no Grande Vitória.

A casa do aspirante da Polícia Militar Luiz Ramos, localizada na rua Rio Galero Pará, bairro Armando Mendes, Zona Leste, foi invadida na madrugada de terça-feira (15), por homens não identificados, que entraram pelo telhado, reviraram os objetos da residência e fugiram sem roubar nada. Luiz, que era lotado na 4ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) está preso suspeito de envolvimento no desaparecimento do foragido da Justiça Alex Julio Roque de Melo, 25, e dos jovens Rita de Cássia Castro da Silva, 19 e Weverton Marinho, 20, ocorrido dia 29 de outubro deste ano, no bairro Nova Vitória, mesma zona.e31d06b8-5512-477e-af67-b2f14633d8fe
Segundo a polícia, ainda está sendo investigado se a invasão teve alguma ligação com o desaparecimento do trio ou se tratou de uma tentativa de roubo frustrada. De acordo com tenente Cândido, da 25ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), foi o irmão do aspirante quem acionou os policiais informando que ao chegar na casa do policial, disse ter percebido sinais de arrombamento na porta e os pertences do PM todos revirados.

Segundo policiais do 25º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na ocorrência registrada pelo irmão do aspirante, ele relatou somente que o local tinha sido invadido, mas não mencionou que a casa era do PM envolvido no desaparecimento do trio. “Acreditamos que esses bandidos sabiam que a casa pertencia a um PM e entraram no local procurando arma de fogo ou outro objeto do policial. Vamos solicitar que o irmão do aspirante preste um novo depoimento na delegacia e vamos começar uma investigação”, afirmaram os PMs.

A polícia investiga se o suposto sumiço do trio tem relação a um planos para executar três policiais militares, entre eles o aspirante Luiz Ramos, que está preso. Segundo informações de populares, os jovens estavam em uma motocicleta quando foram abordados por uma viatura da polícia, e em seguida não foram mais vistos. Caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS).
Fonte Jornal Agora

ver mais notícias