Boatos, mentiras e especulações sobre as eleições suplementares ao Governo do Amazonas, infestam a Internet

O vergonhoso quadro político brasileiro, repleto de agentes públicos e empresários presos ou sob investigação, somente se agrava, a cada dia que passa, conforme mais e mais sujeira é desvendada.

Enquanto isso, aqui no Amazonas, especialmente em “Manaus City”, a aproximação das eleições suplementares é o combustível de boatos e mentiras, incessantemente regurgitadas sobre a população, em evidente estratégia de desinformação, visando confundir e induzir o eleitor em erro, tumultuando ainda mais o já desarranjado panorama político.

São inúmeros sites, blogs, portais e páginas de redes sociais, que sempre se proliferam como uma doença contagiosa às vésperas de cada eleição, a serviço da divulgação de pesquisas forjadas, mentiras deslavadas e até mesmo fofocas disseminados em grupo de WhatsApp, tudo orientado a enganar a população.

São os velhos caciques querendo fazer uso de tecnologias que desconhecem para tentar voltar ao poder, jogando pesado, à base da influência que um dia tiveram.

Infelizmente, enquanto os partido negociam as melhores vantagens possíveis para si e seus candidatos, através da eterna e já manjada “dança das cadeiras” de secretarias aqui e acolá, caixa dois, três e quatro, ninguém pensa no povo amazonense.

Para cada conchavo em busca de posições confortáveis na máquina pública, milhares de cidadãos honestos são relegados à miséria, pois o que sobra no bolso de alguns poucos parasitas que se agarram com unhas e dentes ao poder de governar, é justamente aquilo que foi desviado do bolso de muitos.

Há uma evidente mudança de consciência surgindo nas mentes dos nossos jovens e o trabalho de instituições como a Polícia e o Ministério Público Federal, que puseram Ministros, Deputados, Senadores e etc. na cadeia, bem como a cassação do Governador do Amazonas são provas irrefutáveis de que não há volta nesse caminho rumo ao novo pensamento político e que as velhas ideologias devem ficar mortas e enterradas no passado.

Devemos manter isso em mente e, daqui pra frente, sempre questionar as supostas “informações” vindas de fontes duvidosas como estas, que se vendem para propagar mentiras e boatos de grupos políticos cujos modos de agir estão claramente ultrapassados e sem chances de sobrevivência dentro do “Novo Brasil” que está sendo criado por jovens Juízes, Delegados e Promotores, bem diante de nossos olhos.

É preciso estarmos alertas e questionarmos constantemente “em quem devemos confiar”.

ver mais notícias