Arthur garante que instabilidade política do Estado passará longe da administração municipal

O prefeito Arthur Virgílio Neto manifestou nesta quinta-feira, 29/6, sua posição em relação à suspensão da eleição suplementar pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para o Governo do Amazonas. Ele alertou a população para que tenha tranquilidade para encarar o delicado momento pelo qual passa o Estado e lembrou que segue governando a cidade de Manaus com comando e estabilidade.

Para Arthur, a decisão do ministro do Supremo, Ricardo Lewandowski foi precipitada e lamentou o fato de deixar dúvidas em relação a quem passaria a governar o estado do Amazonas. “Não achei que a decisão do meu prezado amigo, o ministro Lewandowski, tenha sido sábia ou tenha sido a melhor. Como a eleição foi suspensa, o povo ficou horas sem saber quem governaria o estado”, disse Arthur.

Em meio ao clima de instabilidade, o prefeito frisou seu pulso para governar a cidade de Manaus, mantendo-a estável administrativa e politicamente. “Não importam as incertezas no campo do Governo do Estado. Manaus vai continuar trabalhando e mantendo suas contas em dia e com governança. Eu sou o prefeito dessa cidade e aqui nós temos autoridade, respeito pelo povo e temos estabilidade, que é o que está faltando infelizmente ao Governo do Estado. Aqui não tem instabilidade, aqui tem prefeito e o prefeito sou eu”, destacou.

Para Arthur, neste momento, a hora é de cada um dar sua contribuição, para que o Estado saía da situação de pré-falência. “Todos precisam ajudar. O governador interino, David Almeida, deve se dedicar a fazer ajuste fiscal no estado e não brigar por popularidade. Depois, que passe isso para seu sucessor”, disse o prefeito, acrescentando sobre a missão que cabe ao próximo governador.

“O próximo governador, que também será tampão, quando se resolver essa questão de eleição direta ou indireta, não deve ficar falando em reeleição ou ambições. A ambição maior deve ser respeitar o estado. Vamos aguardar a sabedoria da Justiça porque nosso Estado precisa encontrar a normalidade”, finalizou.

 

ver mais notícias