Álvaro Campêlo e Dermilson Chagas batem boca durante audiência com 3 mil pessoas no Viver Melhor


Manaus – Uma mostra de que a disputa eleitoral de 2018 já começou e promete ser quente ocorreu na última sexta-feira, 24, no Residencial Viver Melhor, zona norte de Manaus. O deputado estadual Dermilson Chagas (PEN) e o vereador Álvaro Campelo (PP) bateram boca e trocaram palavras ofensivas na frente de aproximadamente de três mil pessoas. A ‘briga’ foi sobre quem é o culpado pelos diversos problemas estruturais e de falta de serviços básicos enfrentado pelos moradores do conjunto: o governador José Melo (Pros) ou o prefeito Arthur Neto (PSDB).
Confusão

A reunião, com a presença de representantes do Estado e do município, tinha o objetivo de ouvir as reclamações dos moradores, mas quase se transformou em palanque político. A confusão começou quando Dermilson, ao discursar depois de todos os outros porque havia chegado atrasado na reunião e sem ser convidado, disse que promoveu ações em favor do Viver Melhor e disse que o que não foi resolvido era culpa do prefeito Arthur. O deputado foi aplaudido e gerou constrangimento porque a Defensoria Pública entrou há cerca de um mês com uma ação judicial contra o Estado por uma série de problemas no local. Dermilson minimizou a ação afirmando que o que acabaria com “a putaria no Viver Melhor” seria “boa vontade do prefeito”.

Reação

No mesmo momento, Álvaro Campêlo levantou-se e sem microfones começou o protesto contra Dermilson. Quando pegou o microfone, Álvaro, mais articulado que o deputado, conseguiu mais aplausos e desafiou Dermilson a levar Melo até o condomínio. Dermilson, neste momento, foi vaiado. Uma moradora protestou contra “a politicagem que poderia ser transformada a reunião”.

Censura e saída de fininho

Foi necessário que o defensor público Carlos Almeida Filho impedisse novas manifestações dos dois nos microfones e pedisse calma à multidão que entrou no clima da briga. Após os discursos inflamados, os dois sem se encarar continuaram se agredindo verbalmente e alto. Pode-se ouvir: “Esse é um babaca de vir aqui falar isso”. A reunião continuou com a presença de todos. Dermilson saiu do local pouco tempo após a briga.

Com informações Amazonas Atual.

ver mais notícias