500 trabalhadores da Fábrica de Cimento Nassau entram em greve no Amazonas

Mais de 500 trabalhadores da Fábrica de Cimento Nassau do Amazonas entraram em greve por tempo indeterminado, no início da manhã desta segunda-feira (15), em Manaus. Os funcionários cruzaram os braços em protestos e reivindicação por três meses de salários atrasados. Eles também pedem melhores condições de trabalho.Para marcar o início da greve, os trabalhadores realizaram um ato público, com início às 5h30, em frente ao prédio da fábrica, localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, na rua Puraquequara, na Zona Sul de Manaus. Os funcionários se concentraram com carro de som. Após o protesto, eles se dispersaram e não assumiram os postos de trabalho.

Assédio Moral e Alimentação 

O presidente do Sindicato de Cargas do Amazonas (Sindcarga-AM), Carlos Gonzaga, disse que além dos pagamentos em atraso de cinco quinzenas, a categoria denunciou publicamente casos de assédio moral no ambiente de trabalho, além de cobrarem melhoria nos serviços de alimentação.

De acordo com Gonzaga, a alimentação dos trabalhadores é de péssima qualidade e já chegaram a encontrar mofo no pão que é servido no café da manhã aos industriários. “Não somos respeitados, tem gente doente com tuberculose, mas não se pode fazer nada porque o trabalhador é mandado embora, e assim somos discriminados”, reclamou o sindicalista.

As linhas de produção da fábrica iniciaram a segunda-feira paralisada em 100%. “Enquanto não tiver negociação não terá serviço e a produção não volta ao normal”, completou o presidente do Sindcarga, Carlos Gonzaga.

 

ver mais notícias