Sobrevivente de Auschwitz é o homem mais velho do mundo

RIO – Um sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz é hoje o homem mais velho do mundo, segundo o Guinness World of Records.

Yisrael Kristal nasceu em Zarnow, na Polônia, em 1903, e viveu duas guerras mundiais antes de se mudar para a cidade israelense de Haifa. No dia 11 de março, ele completou 112 anos e 178 dias de vida.

O título de homem mais velho pertencia ao japonês Yasutaro Koide, que morreu em janeiro. Ele tinha 112 anos e 312 dias.

Ao receber o certificado do Guinness World of Records, Kristal afirmou que não sabia “o segredo para uma vida longa”:

— Houve homens mais inteligentes, fortes e bonitos do que eu que não estão vivos — afirmou. — Tudo o que nos resta é continuar a trabalhar tão duro quanto podemos e reconstruir o que foi perdido.

Filho de um erudito religioso, Kristal foi separado de seus pais durante a Primeira Guerra Mundial. Depois ele se mudou para Lodz, na Polônia, para trabalhar no negócio de confeitaria da família.

Após a invasão do país pela Alemanha, em 1939, ele e sua família foram transferidos para um gueto na cidade. Seus dois filhos morreram lá.

Em 1944, quando o gueto foi exterminado, ele e sua mulher, Chaja Feige Frucht, foram enviados a Auschwitz. Chaja foi assassinada no campo de concentração. Ele sobreviveu realizando trabalho escravo até o ano seguinte, quando os aliados tomaram o local. Em maio de 1945, Kristal, agora libertado, pesava apenas 37 quilos.

Único sobrevivente de sua família, Kristal emigrou para Israel em 1950 com sua segunda mulher e seu filho, onde continuou trabalhando com confeitaria até sua aposentadoria.

De acordo com sua filha, Shula Kupestoch, o Holocausto não afetou as convicções de seu pai.

— Ele é otimista, sábio, valoriza o que tem — afirmou ao jornal “Jerusalem Post”.

Acredita-se que a pessoa mais velha viva atualmente é a americana Susannah Mushatt Jones, que tem 115 anos e 249 dias.

A pessoa mais velha que já viveu foi a francesa Jeanne Calment, que morreu com 122 anos e 164 dias.

ver mais notícias