Evento reúne especialistas em câncer de pulmão

RIO – Mais de 24 mil pessoas morrem de câncer no pulmão todos os anos no país, que também registra, anualmente, cerca de 28 mil novos casos da doença. De acordo com o oncologista Carlos Gil Ferreira, especialista nesse tipo de tumor, o grande gargalo nacional é o diagnóstico, feito muitas vezes de forma tardia, quando não se pode mais impedir o pior. Para discutir isso, na próxima sexta-feira e sábado, o Rio vai sediar o I Simpósio de Diagnóstico em Câncer de Pulmão, com especialistas brasileiros e estrangeiros, no Centro de Convenções do Prodigy Hotel, junto ao Aeroporto Santos Dumont.

— O país tem dificuldades tecnológicas, econômicas, de treinamento de médicos… E apesar de todo o esforço para reduzir o tabagismo, ainda falta conscientização sobre o câncer no pulmão. Precisamos gerar dados, realizar pesquisas para influenciar os gestores públicos a estimular o diagnóstico precoce e o tratamento correto — explica o médico. — Vamos discutir isso tudo no evento. A incidência da doença é alta, o custo de tratamento é caro.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), entre os 28 mil novos pacientes com a doença a cada ano, mais de 17 mil são homens. Segundo Carlos Gil, 80% dos diagnósticos de câncer no pulmão são explicados pelo uso de cigarro ao longo da vida.

Os adolescentes estão entre os mais vulneráveis à indústria do cigarro. O médico cita pesquisas recentes dando conta de que, enquanto o universo geral de fumantes vem diminuindo no mundo, o número de adolescentes aderindo ao hábito prejudicial está aumentando. Para especialistas, o poder público precisa realizar mais campanhas voltadas para essa faixa etária.

PESQUISA MOSTRA IGNORÂNCIA

Esse tipo de tumor é o que mais provoca mortes no mundo. São mais de 1,59 milhão por ano (mais do que cólon, mama e próstata juntos, que somam algo em torno de 1,52 milhão). Mas, apesar do impacto, ainda há pouco investimento e muita ignorância sobre a doença. Segundo pesquisa apresentada ano passado pela Fundação Bonnie J. Addario para Câncer de Pulmão, dos EUA, 85% das cerca de dez mil pessoas ouvidas em dez países sabem pouco ou nada sobre este tipo de câncer, e 80% dos diagnosticados acreditam ter culpa pelo desenvolvimento da doença.

— Cerca de 20% dos doentes não são nem nunca foram fumantes. Não se sabe se as causas de seus tumores são ambientais, hormonais ou genéticas — diz Carlos Gil.

ver mais notícias