Consumo regular de chocolate melhora funções cerebrais, diz estudo

RIO — Os amantes do chocolate têm um novo motivo para não abandonarem a guloseima. De acordo com estudo publicado na revista acadêmica “Appetite”, o consumo regular do doce está associado com a melhora das funções cognitivas. A pesquisa corrobora achados anteriores sobre os benefícios de um dos nutrientes presentes no alimento: os flavonoides do cacau.

“Os presentes achados dão suporte a recentes testes clínicos que sugerem que o consumo regular de flavonoides do cacau podem ter efeito benéfico nas funções cognitivas e possível proteção contra o declínio cognitivo relacionado com a idade”, diz a pesquisa.

Os dados foram compilados do estudo longitudinal Maine-Syracuse, com a análise de 968 participantes, de 23 a 98 anos. Os pesquisadores encontraram evidências que o consumo regular de chocolate estava significativamente associado com as funções cognitivas, “independentemente de outros hábitos alimentares”.

O consumo mais frequente de chocolate estava associado com “melhor performance em testes cognitivos incluindo memória visuo-espacial e de organização, memória de trabalho, teste de rastreamento, abstração e raciocínio e o mini-exame do estado mental”.

Todas as outras variáveis foram excluídas, contudo, os pesquisadores consideram serem necessários novos estudos sobre o tema. Uma das limitações da análise é que no estudo longitudinal Maine-Syracuse o consumo de chocolate era reportado pelos participantes e, por isso, suscetível a erro. Outro problema é a não diferenciação entre os tipos de chocolate (ao leite, amargo ou branco).

Os níveis mais altos de flavonoides são encontrados no chocolate amargo, em relação ao branco e ao leite. O nutriente também é encontrado no chá, vinho tinto e algumas frutas, como uvas e maçãs.

ver mais notícias