Recapiturado em Manaus, 'Serial killer' foragido do Compaj suspeito de matar 10 homossexuais

Ele negou os crimes e chorou dizendo que foi torturado a confessar os assassinatos. 

Jucenildo Soares Damacena, 21, o “Chimbinha” foragido do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), situado no km 8 da BR-174, em Manaus, foi recapturado pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (15), na casa da namorada dele, na Rua Lobo Guará, comunidade Nobre, Lago Azul, Zona Norte. De acordo com a polícia, ele é suspeito de matar pelo menos 10 homossexuais, junto com o irmão dele Ricardo Damascena Cunha, 22, em 2013 na capital. Na Delegacia Geral (DG), na manhã de hoje, Jucenildo chorou e alegou inocência.

 

A prisão de Jucenildo Soares Damacena ocorreu após denúncias anônimas para o 181 da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Na Justiça, Jucenildo responde a dois latrocínios e dois homicídios. Ele foi preso com irmão dele no dia 29 de janeiro de 2014.

Uma das vítimas foi o estudante de jornalismo Steve Rosth Rocha, 36, encontrado morto a pauladas no dia 29 de novembro do ano passado, em um rip-rap no bairro Tancredo Neves, zona leste de Manaus.

À reportagem, Jucenildo negou os crimes e chorou dizendo que foi torturado a confessar os assassinatos. “Cadê as provas de crime? Ninguém tem”, disse.

Na época do crime, os policiais civis da DERFD encontraram com ele e o irmão câmera, celular e notebook das vítimas.

Jucenildo foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no quilômetro 8, da Rodovia BR-174.

 

Jucenildo e Ricardo, roubavam e matavam homossexuais
ver mais notícias