Taxa de desemprego dispara e fecha 2015 em 8,5%, maior taxa desde 2012

RIO – A taxa de desemprego no país disparou e fechou 2015 em 8,5%, segundo os dados da Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua divulgados nesta terça-feira pelo IBGE. A taxa é a maior da série histórica, iniciada em 2012. O aumento significa um salto frente a 2014, quando a taxa foi de 6,8%. Já o rendimento real ficou em R$ 1.944no ano passado, 0,2% a menos que em 2014. A pesquisa inclui dados para todos os estados brasileiros.

No quarto trimestre, o desemprego ficou em 9%, o que representa estabilidade frente ao terceiro trimestre e um salto de 2,5 pontos percentuais frente ao quarto trimestre de 2014, quando foi de 6,5%. É a maior taxa da série histórica, iniciada em 2012.

Em um ano, o total de desocupados no país avançou 40,8%. São 2,635 milhões de pessoas a mais. Já a população ocupada caiu 0,6% no mesmo período, ou 600 mil a menos.

Pela Pesquisa Mensal do Emprego (PME) — que acompanha o mercado de trabalho nas seis principais regiões metropolitanas: São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre —, o desemprego fechou 2015 em 6,8%, dois pontos percentuais a mais que em 2014.

Esse foi o maior salto na série histórica do IBGE — que para dados anuais começa em 2003. O desempenho de 2015 interrompeu uma trajetória da queda do desemprego nas regiões metropolitanas do país que ocorria desde 2010.

ver mais notícias