Starbucks vai doar a comida que não vender nos EUA

NOVA YORK – A cadeia de cafeterias americana Starbucks, em uma iniciativa impulsionada pelos seus empregados, informou que doará todos os alimentos que não foram vendidos ao final de cada dia à associação sem fins lucrativos Feeding America (Alimentando a América, numa tradução livre), que auxilia na alimentação de pessoas indigentes nos Estados Unidos. A iniciativa, segundo revelou a companhia liderada por Howard Schultz, envolverá os 7,6 mil estabelecimentos de grupo nos EUA. Outras empresas, como Chipotle Cheesecake Factory, Yum! Brands, KFC, Taco Bell, Darden’s y Olive Garden já doam os produtos que sobram a instituições.

— Ninguém deveria ir pra cama com fome — disse Teva Sakima, empregada da Starbucks que tomou a frente da iniciativa.

Até agora, o grupo só doava os doces que não eram vendidos em seus bares e cafés, mas passará a doar também os sanduíches e os pratos de saladas. “Fiel a sua missão”, explicou o grupo em um comunicado publicado esta semana. A empresa implantou o programa depois de ter verificado que a comida que doará chegará em condições fitossanitárias adequadas. E garante que continuará monitorando esses alimentos para garantir que serão consumidos com segurança.

Segundo a Feeding America, quase 50 milhões de pessoas nos EUA são desnutridas ou lhes falta comida, enquanto que a taxa de desperdício de alimentos é muito alta – entre 30% e 40% de comida fresca acabam no lixo, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA.

Howard Schultz, diretor-executivo da Srarbucks, admitiu à imprensa americana estar sensibilizado com “os assuntos sociais de nosso tempo”, incluindo entre eles as “muitas pessoas nos EUA que não têm o que comer”.

ver mais notícias