Renan quer votar autonomia do BC depois das eleições

BRASÍLIA – O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta quinta-feira que a Casa votará depois das eleições de outubro o projeto que trata da autonomia formal do Banco Central. Renan é defensor da fixação de mandatos para o presidente e os diretores do BC.

Renan disse ainda que conversou sobre o assunto com o novo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, com quem se encontrou na última quarta-feira.

— Este ano é um ano curto, temos que compatibilizar o funcionamento do Congresso com as eleições. Ao voltarmos das eleições, vamos priorizar o Código Penal e a proposta de autonomia formal do BC, que estabelece mandato. Tive a oportunidade de conversar com o presidente do BC, e essa matéria está amadurecendo. É o único país que tem controle de meta e não tem autonomia — disse Renan.

Renan admitiu que essa é uma proposta polêmica, mas que precisa ser votada.

— Essa é uma daquelas matérias controversas. Mas não tem jeito, vai ter que ser apreciada — comentou.

Outro projeto que será votado depois de outubro será o que trata da legalização do serviço terceirizado. Mas ele explicou que o Senado é contra a chamada legalização ampla dos terceirizados.

— Vamos regulamentar os terceirizados existentes. Não é o projeto de lei da Câmara, que possibilita a terceirização ampla, geral e irrestrita, que precariza as relações de trabalho — disse ele.

Ambicioso, Renan coloca na sua lista de prioridades até a atualização da lei das licitações.

ver mais notícias