Preço de venda de imóveis tem queda de 1,71% no primeiro semestre

RIO – Apesar do preço de venda de imóveis não registrar alterações significantes no primeiro semestre deste ano, o Rio de Janeiro apresentou queda de 1,71% – o recuo mais forte entre as 20 cidades brasileiras analisadas pelo Índice FipeZap. Já nos últimos 12 meses, o valor de imóveis no Rio encolheram de 3,61%. De acordo com a pesquisa, os preços no resultado geral ficaram estáveis, registrando leve alta de 0,03% frente ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a junho, além do Rio, outras cinco cidades registraram queda nominal no preço de imóveis: Niterói (-1,66%), Recife (-1,33%), Santos (-0,65%), Distrito Federal (-0,22%) e Fortaleza (-0,88%). Por outro lado, os valores anunciados mais cresceram em Vitória (2,67%), seguida de Florianópolis (2,61%), Curitiba (2,22%), Santo André (2,17%) e Contagem (1,81%). No entanto, os preços cresceram abaixo da inflação registrada nesses seis meses, de 4,45%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE.

Nos últimos 12 meses, a média nacional dos preços de venda indica leve queda de 0,02%, considerada estabilidade estatística – é o menor resultado do índice na série histórica nessa comparação. Levando em conta o IPCA esperado para o período de 8,88%, o preço médio anunciado do metro quadrado apresentou queda real de 8,17%. Todas as cidades brasileiras que compõem o FipeZap registraram variação inferior à inflação esperada nos últimos 12 meses. Além do Rio de Janeiro, houve queda nominal em Recife (1,58%), Niterói (2,37%), e Distrito Federal (0,74%).

RIO: METRO QUADRADO MAIS CARO

Na passagem de maio para junho, o Índice FipeZap também apontou estabilidade. Cinco das cidades pesquisadas apresentaram elevação nos preços acima do IPCA mensal de 0,38%: Contagem (1,48%), Fortaleza (0,80%), Vitória (0,53%), Salvador (0,47%) e Belo Horizonte (0,40%). No mês, a queda registrada no Rio de Janeiro foi de 0,30%.

Em junho, o valor médio do metro quadrado anunciado das 20 cidades foi de R$ 7.635. O Rio de Janeiro se manteve como a cidade com a unidade mais cara do país (R$ 10.251), seguida por São Paulo (R$ 8.630) e Distrito Federal (R$ 8.578). As cidades com menor valor médio por metro quadrado entre as pesquisadas foram Contagem (R$ 3.605), Goiânia (R$ 4.211) e Vila Vilha (R$ 4.501).

Os bairos mais carros para se morar na capital fluminense são Leblon (R$ 21.707/metro quadrado), Ipanema (R$ 20.011/metro quadrado), Lagoa (R$ 18.292/metro quadrado) e Jardim Botânico (R$ 17. 538). Já os mais baratos são: Coelho Neto (R$ 2.213/metro quadrado), Pavuna (R$ 2.443/metro quadrado), Cavalcanti (R$ 2.524/metro quadrado) e Senador Camará (R$ 2.823/metro quadrado).

ver mais notícias