Porto Rico dá novo calote de sua dívida, desta vez de US$ 470 milhões

SAN JUAN, Porto Rico – O governador de Porto Rico, Alejandro García Padilla, anunciou neste domingo em cadeia de rádio e televisão que o país não vai conseguir pagar os US$ 470 milhões de sua dívida com o Banco Governamental de Fomento (BGF) que vencem nesta segunda-feira.

García Padilla disse que negociadores porto-riquenhos não conseguiram chegar a um acordo com os credores na tentativa de evitar o terceiro calote da ilha. O objetivo era adiar o pagamento da quantia devida.

A dívida total de Porto Rico soma US$ 72 bilhões, montante que as autoridades locais dizem que a ilha não poderá pagar. Este default é o maior de Porto Rico e pode barrar seu acesso aos mercados de capital.

Porto Rico não é um país independente, mas sim um território livre associado aos Estados Unidos o chamado status de Commonwealth, ou, como alguns afirmam, “uma colônia do século XXI”. Só que, ao contrário dos estados americanos, a ilha não pode pedir concordata para se proteger dos credores.

A piora no cenário na ilha tem aumentado a pressão para que o Congresso dos EUA altere a legislação e permita que Porto Rico peça concordata para seus municípios e empresas estatais, o chamado Capítulo 9, direito que os estados americanos têm e os protege dos credores.

Em agosto do ano passado, Porto Rico deu seu primeiro calote, em um total de US$ 58 milhões. Em janeiro deste ano, US$ 174 milhões em títulos vencidos não foram pagos. Na ocasião, especialistas alertaram que estatais porto-riquenhas também poderiam entrar em default.

ver mais notícias