Nova presidente da BNDES avalia recorrer a setor privado para financiar banco de fomento

BRASILIA — A nova presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, afirmou nesta quarta-feira, após a cerimônia de sua posse, que o banco de fomento poderá recorrer ao setor privado para se financiar, diante das restrições fiscais que impedem o Tesouro Nacional de fazer novas capitalizações no banco público. Segundo ela, uma mudança de ânimos pode ajudar na retomada, até com tomada de crédito no exterior.

— Estou entrando animada. O momento do Brasil é completamente diferente do que passou. Hoje temos um país em crise, que precisa retomar a confiança e a credibilidade para retomar um ciclo positivo. Se esse ciclo se inicia, tudo fica mais fácil — disse.

Ela comentou que participou da discussão sobre a devolução dos R$ 100 bilhões do BNDES ao Tesouro Nacional. Segundo ela, os R$ 40 bilhões que serão devolvidos este ano serão a reserva de caixa do banco. Os demais também estão dentro da previsão.

— Hoje, BNDES, Banco do Brasil, Caixa e Petrobras vão trabalhar juntos e de forma integrada. Isso pode parecer óbvio mas não é. O objetivo comum é retomar o crescimento e os empregos — afirmou.

Ela disse que infraestrutura e parcerias privadas serão relevantes. Segundo ela, o que está sendo feito no BNDES será repensado, por exemplo, em termos de análises de agência de risco e a participação do banco em ações de empresas. Questionada sobre a transparência do banco, ela disse que vai tomar medidas sobre isso:

— A sociedade clama por transparência, por controle, e eu vou procurar dar resposta a essa ânsia da sociedade.

Questionada sobre a representação feminina no governo, ela disse que não faz esse juízo de valor:

— Eu fico muito orgulhosa de ter sido vista dessa forma pelas mulheres (como representante do gênero). Vou fazer de tudo para honrar essa responsabilidade.

ver mais notícias