Líder da oposição critica rebaixamento da nota brasileira

BRASÍLIA – O rebaixamento da nota brasileira pela agência de classificação de risco Moody’s, a terceira a retirar o grau de investimento no país, já repercute no Congresso. Líder do DEM na Câmara, o deputado Pauderney Avelino (AM) criticou o governo e disse que o posicionamento da agência é mais um fator de agravamento da crise econômica. Ele defendeu um ajuste fiscal “sério”.

— É um golpe duro. Isso representa o caos na economia e o caos político que estamos vivendo. O Brasil precisa de um ajuste fiscal sério, de austeridade, e é o que nós não temos. As agências estão dizendo para o Brasil: nós não vemos saída. Esse rebaixamento é mais um tempero para o agravamento da crise econômica, é o tempero no acarajé — criticou Avelino, ironizando o envolvimento do marqueteiro João Santana, que trabalhou nas campanhas da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, na 23ª fase da Operação Lava-Jato, chamada de Acarajé.

Para o líder do DEM, as medidas do ajuste fiscal propostas pelo governo e enviadas ao Congresso Nacional são “perfumaria”:

— As medidas que chegam ao Congresso Nacional são perfumaria, não resolvem os problemas fiscais que estamos vivendo.

ver mais notícias