Juro do cartão de crédito atinge o maior patamar desde 1995

SÃO PAULO – A taxa Selic permaneceu em 14,25%, segundo a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central, mas os juros cobrados na ponta do consumidor continuam subindo. De acordo com levantamento da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac) de seis linhas pesquisadas, três tiveram suas taxas elevadas (juros do comércio, cartão de crédito rotativo e cheque especial) entre abril e maio. O juro do cartão de crédito, segundo a Anefac, alcançou o maior patamar desde outubro de 1995.

Segundo a Anefac, foi a quinta elevação dos juros neste ano e a vigésima consecutiva. No caso do cartão de crédito, o juro do rotativo subiu de 15,01% para 15,12% ao mês, entre abril e maio. No ano, quem usa o rotativo do cartão paga juro de 441,76%, o maior nível em 21 anos. Em outubro de 1995, o juro do rotativo do cartão bateu em 15,43% ao mês, o equivalente a 459,53% ao ano.

Também subiu o juro cobrado pelo comércio, de 5,82% ao mês para 5,84% (97,61% ao ano)e a taxa do cheque especial, que saltou de 11,46% para 11,54% em maio, o equivalente a 270,82% ao ano.

O diretor executivo de estudos e pesquisas econômicas da Aneafc, Miguel Ribeiro de Oliveira, observa que o atual cenário econômico, com desemprego em alta, juros elevados e renda corroída pela inflação, além de aumento de impostos, aumenta o risco do crescimento nos índices de inadimplência.

– Com as expecativas ruins para 2016, de queda de renda das famílias, as instituições financeiras elevam suas taxas de juros para compensarem possíveis perdas com a inadimplência – explica Ribeiro de Oliveira.

A pesquisa da Anefac mostrou que houve redução de juros em três linhas de crédito: Crédito Direto ao Consumidor oferecido pelos bancos para financiamento de veículos (a taxa mensal caiu de 2,35% para 2,32%); empréstimo pessoal nos bancos (de 4,64% ao mês para 4,58%) e empréstimo pessoal em financeiras (de 8,41% para 8,36% ao mês).

Mas mesmo com esses recuos, na média para pessoa física, entre as seis linhas pesquisadas pela Anefac, o juro subiu de 7,95% ao mês para 7,96%, o equivalente a 150,70% ao ano. É o maior patamar desde novembro de 2003, segundo a Anefac.

ver mais notícias