Iraque afirma que produtores de petróleo se reunirão em maio

BAGDÁ – Os maiores integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros países produtores da commodity se reunirão na Rússa, possivelmente no próximo mês, como nova tentativa de firmar um acordo sobre o congelamento da produção de petróleo para reequilibrar os preços do mercado, afirmou o vice-ministro do petróleo do Iraque, Fayyad Al-Nima nesta quarta-feira.

Apesar do fracasso do encontro realizado em Doha, no Qatar, no domingo, o Iraque vê um lento aumento dos preços, disse a autoridade, que assumiu as responsabilidades da pasta desde que o então ministro Adel Abdul Mahdi suspendeu sua participação no governo no mês passado. No entanto, segundo o ministro de Energia da Rússia, ainda há acordo a respeito da reunião em maio.

— O Iraque participará deste encontro — disse Al-Nima. — A visão do Iraque é realizar um congelamento da produção por um curto período para ajudar a proteger interesses de ambos os produtores e consumidores igualmente pelo alívio do superávit no mercado e melhorando os preços.

As negociações em Doha fracassaram após a Arábia Saudita insistir que não iria limitar sua extração de petróleo sem comprometimento de todos os membros da Opep, incluindo o Irã, que busca retomar sua participação no mercado desde que teve as sanções econômicas suspensas em janeiro.

IMPACTO NOS PREÇOS

Após a declaração do governo iraquiano, os preços de contratos futuros do petróleo ampliaram os ganhos. A cotação do barril do petróleo tipo Brent (referência no mercado internacional) para junho avançou 4% para US$ 45,80, o maior nível desde novembro. Já o petróleo WTI (mais comercializado nos Estados Unidos) subiu 3,8%, a US$ 42,63 na Bolsa Mercantil de Nova York.

ver mais notícias