Investigadores afirmam que avião de Roger Agnelli não tinha caixa preta

SÃO PAULO – Técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreo (Cenipa) estiveram no local do acidente de avião que matou sete pessoas, entre elas o ex-presidente da Vale Roger Agnelli, para fazer perícia e recolher partes da fuselagem e outros materiais que possam ajudar a elucidar as causas do acidente.

De acordo com os técnicos, a aeronave, um monomotor turbohélice experimental, não possuía caixa preta, dispositivo que grava a voz do piloto e os comandos e condições técnicas do avião, o que poderá dificultar a investigação sobre o que provocou a queda. Os funcionários do Cenipa esperam agora obter a comunicação do piloto Paulo Roberto Bau com a torre de comando no aeroporto Campo de Marte, de onde o avião decolara instantes antes de cair sobre uma casa na zona norte da capital paulista, por volta da 15:20 hrs de sábado.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, todos os corpos já foram identificados e liberados para que as famílias possam fazer o sepultamento. Ainda não há informações sobre como e onde será o enterro da família Agnelli. Já o corpo de Bau será levado para São Manuel, no interior do estado, a 300 quilômetros da capital paulista, será realizado o enterro.

A Defesa Civil ainda mantém interditada a casa atingida pela aeronave mas já não há mais risco de o sobrado de três andares desabar.

ver mais notícias