Grupo de credores acusa Argentina de desrespeitar acordo de pagamento

NOVA YORK – Um grupo de detentores de títulos argentinos está tentando bloquear o país latinoamericano de avançar com os mais de US$ 6,2 bilhões em acordos até que seja pago. Os investidores, que incluem os fundos Red Pines, Procella Holdings e VR Global Partners, afirmam que a Argentina alega que não deve pagá-los já que eles demoraram muito tempo para processá-la.

Segundo documento apresentado à Justiça americana nesta quinta-feira, o juiz Thomas Griesa, de Nova York, deve impedir que a Argentina certifique a execução de todos os acordos alcançados até que o grupo seja pago integralmente. A certificação é necessária para que os acordos multibilionários sigam adiante.

A ação ameaça complicar uma série de negociações que pode encerrar com anos de batalha judicial e permitir que a Argentina retome o acesso aos mercados de crédito internacional pela primeira vez desde o calote de US$ 95 bilhões da dívida soberana em 2001. Um tribunal federal de recursos em Nova York vai considerar os acordos na próxima semana.

“Os requerentes buscam preservar o status quo e proibir a Argentina de alegar falsamente que pagou ‘todos’ os demandantes com quem fechou acordo a princípio, enquanto ignora acordo de pagamento dos requerentes”, disse o grupo credor no documento.

No mês passado, Griesa afirmou que vai suspender ordens do tribunal que impediam a Argentina de pagar os credores da dívida ou emitir novos títulos a menos que pagasse um grupo de detentores de títulos, liderado pelo fundo Elliott Management. Como consequência, o país fechou um acordo de US$ 4,65 bilhões com o fundo e mais outras três instituições para resolver as pendências.

ver mais notícias