Grupo chinês retira oferta de compra pela rede hoteleira Starwood

SEATTLE – O consórcio liderado pela seguradora chinesa Anbang Insurance retirou a oferta de compra no valor de US$ 14 bilhões pela rede hoteleira Starwood Hotels & Resorts. A ação surpreendeu o mercado, que acompanha a disputa de propostas entre o grupo chinês e a rede Marriott International, que agora ganha espaço na concorrência.

O grupo decidiu não proceder com a oferta devido a “considerações do mercado”, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira. A Anbang, junto aos parceiros J.C. Flowers e Primavera Capital Group, fizeram no fim da semana passada uma oferta não vinculante em dinheiro de US$ 82,75 por ação e desde então estavam negociando a formalização do acordo com a Starwood.

“Nós fomos atraídos pela oportunidade apresentada pela Starwood devido às marcas líderes globais de alta qualidade, que atendem muitos de nossos critérios de aquisição, incluindo a habilidade de gerar retornos consistentes a longo prazo”, afirmou a Anbang. “No entanto, devido a várias considerações do mercado, o consórcio determinou não avançar”.

Caso a Anbang tivesse ganhado a disputa pela Starwood, a transação seria a maior aquisição de uma companhia americana por uma chinesa, ultrapassando a compra da Smithfield Foods por US$ 7 bilhões em 2013.

A desistência surge após várias ofertas pelo grupo competirem com contrapropostas da rede Marriott, que havia fechado acordo de fusão com a Starwood em novembro. Com a saída do consórcio liderado pela seguradora, a rede se aproxima da aquisição que formaria a maior companhia hoteleira do mundo, unindo marcas como W, Westin e Sheraton.

Segundo reportagem do “Financial Times” nesta quinta-feira, a Anbang não comprovou capacidade de financiamento para suportar a última oferta.

VOTO DOS ACIONISTAS

Os acionistas da Starwood devem votar em 8 de abril a proposta em dinheiro e ações da Marriott de US$ 77,94 por ação, totalizando US$ 13,2 bilhões, com base no valor de fechamento desta quinta-feira.

A nova companhia formada ganharia força na negociação de comissões com agências online de viagem e seria capaz de competir melhor com crescentes rivais como o Airbnb. Com mais chance de fechar o negócio, a Marriott ultrapassaria a rede Hilton Worldwide para se tornar a maior: com cerca de 1,1 milhão de quartos em 5,7 mil propriedades. Cerca de 35% dos quartos se concentram fora dos Estados Unidos.

O grupo Anbang tem feito investidas em hotéis americano, começano no ano passado pela compra recorde de US$ 1,95 bilhão da marca Waldorf Astoria. A seguradora também fechou acordo para comprar por US$ 6,5 bilhões a Strategic Hotels & Resorts, do fundo Blackstone, operadora de 16 hotéis de luxo.

ver mais notícias