Grécia comemora volta aos trilhos da economia após acordo UE-FMI

BRUXELAS – O governo grego comemorou nesta quarta-feira o fato de o acordo alcançado durante a noite por seus credores para desbloquear € 10 bilhões para o país e aliviar sua dívida e abrir caminho para a volta aos trilhos da economia grega.

Os ministros das Finanças da zona do euro e o Fundo Monetário Internacional (FMI) “tomaram decisões importantes” que permitirão injetar até outubro € 3,5 bilhões na economia nacional e garantem “durante um longo período o financiamento da economia em condições muito favoráveis”, comentou uma fonte governamental.

“É um momento importante para a Grécia depois de tanto tempo”, reagiu com satisfação em Bruxelas o ministro das Finanças, Euclide Tsakalotos, depois de uma reunião de 11 horas do Eurogrupo destinada sobretudo a acabar com s divergências entre Alemanha e FMI sobre como a Grécia deveria ser tratada.

A reunião levou ao desbloqueio de uma nova parcela do terceiro programa de resgate da Grécia e a um acordo de “medidas progressivas” para aliviar a dívida do país, condição sine qua non do FMI para sua participação.

Segundo a mesma fonte governamental, a nova parcela será desbloqueada em duas vezes: € 7,5 bilhões até 30 de junho e 2,8 em setembro. Deste total, 3,5 bilhões serão utilizados para o pagamento dos atrasos devidos pelo Estado grego aos seus fornecedores, disse a mesma fonte governamental.

Segundo ela, o Eurogrupo também abriu caminho a uma “solução imediata da questão da dívida”, com a “implementação de um mapa do caminho que normalize o estado de liquidez da economia” e permita “acelerar o retorno do país aos mercados financeiros”, um prazo fixado a 2017 por Atenas.

ZE CELEBRA AVANÇO

A zona do euro deu à Grécia a sua oferta mais firme até agora sobre um alívio da dívida, durante o acordo que os ministros das Finanças chamaram de avanço e que recebeu um comprometimento provisório do Fundo Monetário Internacional (FMI) para voltar a fazer parte do resgate a Atenas, animando os investidores.

O maior avanço veio na forma de um acordo segundo o qual a zona do euro concordou em oferecer a Atenas um alívio da dívida em 2018, se for necessário para atingir os critérios definidos sobre seus pagamentos. No meio tempo, o fundo de resgate da zona do euro recebeu aprovação para tomar medidas que suavizem a trajetória do serviço da dívida grega.

Entretanto, o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, evitou qualquer comprometimento imediato sobre um reagendamento da dívida grega que exigiria dele garantir a aprovação de um Parlamento cético em Berlim antes das eleições gerais no próximo ano.

Entretanto, o acordo foi para garantir, em princípio, o acordo junto ao FMI para voltar a se juntar à zona do euro no financiamento do resgate grego, sujeito à aprovação de sua diretoria.

“Alcançamos um importante avanço sobre a Grécia que nos permite entrar em uma nova fase no programa de assistência financeira grego”, disse o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, em entrevista à imprensa.

ver mais notícias