Governo vai entregar meta do orçamento na próxima semana, diz Jucá

RIO – O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Romero Jucá, disse hoje que o governo pretende entregar no início da próxima semana a nova meta do orçamento. Ele disse que não será a proposta do governo anterior, que previa um rombo fiscal de R$96,6 bilhões nas contas deste ano. Jucá descartou ainda que a escolha do líder do governo na Câmara dos Deputados, e seus desdobramentos, possa interferir na aprovação do orçamento. O ministro participou, na manhã desta quarta-feira, da abertura da 46º Assembléia da Associação Latino Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento, no Rio de Janeiro.

— A meta do superávit é votada no Congresso Nacional. Já tive contato com senador Renan Calheiros. E devemos estar entregando no início da semana que vem a proposta da nova meta. Portanto, no prazo que dá para fazer a votação até o dia 30 ( e evitar um shut down). Essa votação no Congresso, espero que, independente de qualquer questão partidária, o Congresso funcione e aprove matérias que são de relevância para o país. Estamos trabalhando para chegar a um número que seja consequente. Estamos trabalhando firmemente para chegar a um número que tenha respaldo e que possa espelhar a realidade. O prazo que deveria haver o decreto por conta do contigenciamento seria o último dia do mês de maio. Até lá, temos prazo para aprovação. Estou confiante que o Congresso dará o respaldo necessário — disse Jucá.

Segundo ele, as equipes dos ministérios da Fazenda e do Planejamento estão “levantando o déficit”.

— E não será de R$ 96 bilhões, que é o número original do governo anterior. Estamos atualizando. O Planejamento e a Fazenda estão trabalhando. Na quinta-feira ou sexta-feira, vamos fazer um batimento das expectativas. Portanto, temos tempo.

Jucá não quis confirmar a escolha do deputado André Mouro (PSC-CE), aliado de Eduardo Cunha, que está afastado da presidência da Câmara dos Deputados, como líder do governo na Câmara.

— Não vou entrar na discussão interna da Câmara dos Deputados. Sei que os deputados e os partidos políticos da Câmara vão chegar a uma posição de equilíbrio e definição para um bom funcionamento da Câmara. Tenho certeza que essa situação vai se resolver da melhor forma possível. Essa situação pode ter interface do ministério do Geddel Vieira Lima (da Secretaria de Governo) e do próprio presidente — disse Jucá.

ver mais notícias