Governo federal fará pente-fino no auxílio-doença

BRASÍLIA – O ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou que o governo irá fazer uma perícia para buscar irregularidades em programas federais, principalmente no auxílio-doença. Em cerimônia com cerca de 500 empresários no Palácio do Planalto nesta quinta-feira, Oliveira disse que o presidente interino Michel Temer determinou o cruzamento de dados nesses pagamentos.

— Há pessoas que estão há mais de dois anos recebendo esse benefício (auxílio-doença). Grande parte dessas pessoas, é de se supor, está curada. Mas o Estado não faz perícia — declarou o ministro interino, que calcula em R$ 13 bilhões os gastos com o auxílio por ano.

Dyogo Oliveira defendeu os recentes reajustes dados pelo Planalto ou aprovados no Congresso. Nesta quarta-feira, o governo concedeu um reajuste a beneficiários do Bolsa Família de R$ 1,6 bilhão até o fim do ano, além de o Senado ter aprovado reajuste dos servidores do Judiciário e do Ministério Público, um impacto de R$ 2 bilhões até o final de 2016.

De acordo com o ministro interino do Planejamento, o Bolsa Família estava sendo “corroído” pela inflação, e não tinha reajuste há dois anos. Ele ressaltou que o aumento, de cerca de 12%, está abaixo da inflação acumulada do período.

— Não é possível essa apoio do Bolsa Família corroído pela inflação e se tornando insuficiente para sua subsistência. Nossa nação não pode mais conviver com a miséria total – disse, e completou afirmando que o reajuste de servidores não representarão “carga” para a sociedade brasileira, e que está mantida a responsabilidade fiscal.

ver mais notícias