Google vai capacitar um milhão de africanos para fomentar emprego

LONDRES – A Google vai expandir seus programas de capacitação em habilidades digitais para incorporar um milhão de africanos nos próximos 12 meses com o objetivo de combater as altas taxas de desemprego no continente.

A gigante americana do setor tecnológico afirmou em comunicado nesta terça-feira que planeja capacitar 300 mil pessoas na África do Sul, onde 35% entre 15 e 34 anos estão desempregados. Na Nigéria, o programa incluirá 400 mil pessoas, enquanto no Quênia o plano atinge 200 mil cidadãos para receber capacitação digital gratuita. Mais 100 mil pessoas em outros países da África subsaariana serão contemplados.

“A Google veio à África para ficar e vamos investir em talentos”, afirmou o direitor-nacional da Google África do Sul, Luke McKend. “Esperamos que os capacitados se transformem em precursores no campo e façam grandes coisas no ramo digital para as empresas a para a Google”.

A companhia se associou à Livity Africa, agência de desenvolvimento social sem fins lucrativos, para criar programas de qualificação e abrirá um novo portal de educação online para os alunos da região.

“Também estamos falando com vários possíveis sócios em toda a África com a ideia de expandir o programa de capacitação em habilidades digitais e ajudar a chegar a cada vez mais jovens em mais países”, disse a Google em comunicado.

O alcança de internet banga larga na África cresceu 41% entre 2014 e 2015, segundo o relatório “Geografia Global da Internet”, da TeleGeography. A pesquisa feita pela Google sugere que, até 2020, o continente tenha 500 milhões de usuários da rede.

NA MIRA DO SETOR

Grandes firmas americanas de tecnologia como Google, Apple, Amazon e Facebook tem sido criticadas pela opinião pública a respeito dos impostos relativamente baixos que pagam fora dos Estados Unidos. Em parte para reforçar uma boa imagem corporativa, as empresas tem financiado muitos programas de capacitação gratuita e promoveram um aumento no número de empregos que suas divisões ajudaram a criar.

Em fevereiro, a Google afirmou que havia capacitado um milhão de europeus em habilidades digitais e se comprometeu a capacitar mais um até o fim de 2017. A empresa também se uniu à Grande Coalizão para Emprego Digital da Comissão Europeia, uma iniciativa para qualificar mais europeus no setor tecnológico, junto a empresas como Cisco Systems, Microsoft, Oracle, Samsung, SAP e Telefónica.

Em 2014, o Facebook apoiou a campanha “Web para todos”, do Reino Unido, cujo objetivo era instruir britânicos em habilidades ligadas à internet. Já a Apple anunciou que abrirá um centro de formação em Nápoles, na Itália, para encorajar europeus a aprender codificação. A companhia destacou o número de empregos criados na Europa tanto de forma direta, através das lojas e centro de dados, como pelas empresas que criam aplicativos para o sistema operacional da Apple.

Em janeiro, a Amazon afirmou que foram criados 10 mil postos de trabalho na Europa graças aos negócios em 2015 e que a empresa criaria “vários milhares” este ano.

ver mais notícias