Frota de aviões na América Latina mais que dobrará até 2034, diz Airbus

RIO – A América Latina precisará de 2.540 novas aeronaves para transportar passageiros e cargas até 2034 para atender ao crescimento de longo prazo da região, indicou a pesquisa de projeção de mercado global (GMF, Global Market Forecast) da fabricante de aviões Airbus divulgada nesta terça-feira. Tal demanda significa que a frota de aviões de companhias aéreas da região mais que dobrará para quase 3 mil aeronaves nos próximos 20 anos.

Segundo o relatório, o fluxo aéreo na América Latina crescerá em uma média anual de 4,7% nos próximos 20 anos, acima da média mundial de 4,6%. O motor desse aumento serão as companhias aéreas da região, com aumento de tráfego de 5% ao ano, segundo a empresa.

A GMF atribui esse crescimento à intensificação da urbanização e ao desenvolvimento econômico da região. O relatório indica que, nos próximos 20 anos, o PIB anual da América Latina deve crescer a uma taxa de 3,6%.

“A expansão das rotas de longo alcance na América Latina é iminente e já vemos as companhias aéreas reagirem a isso ao optar por aeronaves maiores, de mais longo alcance e mais eficientes como o A350 XWB e o A380, que começaram a operar na região em 2016”, sustenta Rafael Alonso, presidente da Airbus para América Latina e Caribe.

Segundo o relatório, 53% da frota na América Latina é de aviões Airbus. A demanda futura até 2034 inclui 1.990 aviões de corredor único e 550 de fuselagem larga como o A330 e o A380, no valor estimado de US$ 330 bilhões.

ver mais notícias